A vitória de Pábio Mossoró (PSDB) em Valparaíso (GO), na Região Metropolitana do DF, limou o PT de todas as prefeituras das 21 cidades goianas e mineiras que compõem a Região Integrada de Desenvolvimento Econômico da capital (Ride-DF).

Valparaíso já era o único município comandado pelo partido, por meio de Lucimar Nascimento, mas sua baixa popularidade, que a fez até mesmo desistir de tentar se reeleger, minou também as chances de Dr. Roberto Martins, terceiro colocado na votação local.

“A gente iniciou campanha e o Dr. Roberto foi crescendo, mas já na reta final a gente sabia que iria ficar em terceiro”, admite o presidente do PT-DF, Roberto Policarpo. Ele classificou o resultado das urnas em toda a área limítrofe ao DF como uma “derrota”, mas garantiu que a pulverização sofrida pelo partido pode ser constatada em outras legendas.

“Na Ride temos a Cidade Ocidental,que o PRTB ganhou com nosso apoio. Em Luziânia, a candidatura que ganhou, apesar de indeferida no momento, teve nosso apoio também”, enumerou.

Policarpo confessa que o PT passa por momento de se reorganizar junto à militância e pensar em novas estratégias para voltar a crescer, mas garante que a legenda não morreu.

Conforme levantamento do JBr, os petistas lançaram apenas duas candidaturas próprias nas 21 eleições municipais para prefeituras do Entorno – teve postulantes em Valparaíso e Formosa – e estiveram ausentes até de coligações em três municípios (Cocalzinho, Novo Gama e Padre Bernardo).

Por outro lado, o partido fez parte de quatro coligações vencedoras (Cabeceiras, Cidade Ocidental, Mimoso e Vila Boa). A quinta participação em vitórias depende da decisão da Justiça Eleitoral a respeito de Cristóvão (PSD), em Luziânia. O candidato teve a candidatura indeferida e os votos computados para ele, suficientes para vencer a eleição, foram anulados, dando a vitória ao tucano Marcelo Melo.

“A diminuição da presença do PT no Entorno se deve também a termos lançado menos candidatos em menos coligações. Já nas últimas eleições só não tinha sido tão ruim porque conseguimos Valparaíso”, resigna-se Policarpo.

Às vésperas da votação na cidade o JBr foi à cidade e constatou a baixa popularidade da petista Lucimar Nascimento no município. O mototaxista Adinailton dos Santos, de 32 anos, por exemplo, reclamou bastante da Segurança Pública.

Ele ainda acusou a prefeita de ter “pouco diálogo” com a população e citou as promessas de asfaltamento não cumpridas como motivo para ter se decepcionado com a gestão. “As ruas que ela disse que ia asfaltar asfaltou mal. Ou então sequer foi lá”, esbravejou.

Nina da Silva, 59, e sua filha, Ingrid da Silva, 22, também revindicaram. “Falta médico nos postos, em todos”, reclama a mãe.

Discurso gastou, diz eleita

A peessedebista Sônia Chaves, eleita para seu terceiro mandato no Novo Gama, destacou não ter participado diretamente das campanhas de seus colegas de partido em Luziânia e Valparaíso, vizinhos ao município, mas comemorou o fato. Ela ainda se regozijou da derrota sofrida pelo PT.

“No Novo Gama não tem nem sinal do PT. Só uma candidata a vereadora do partido e ela foi mal votada”, afirma, e prossegue: “Eu já esperava que o PT fosse ficar sem prefeituras na RIDE pelo cenário nacional. O discurso petista se desgastou muito junto aos eleitores”, analisa.

Ela revelou a intenção de firmar parcerias com os vizinhos e de tentar o diálogo com o Governo de Brasília, apesar de Rollemberg ter apoiado um de seus oponentes na última eleição municipal. “Se o DF nos ajudar a melhorar a Saúde e Educação, isso melhora para eles também. Se tiver Saúde no Novo Gama, as pessoas não precisam ir a Brasília”, propõe.

O PSB de Rollemberg elegeu diretamente apenas o prefeito de Cristalina, Daniel do Sindicato, na Ride-DF. Os socialistas, porém fizeram parte de outras seis coligações vencedoras, entre elas a de Valparaíso. O partido do governador também ajudou triunfos em Alexânia, Mimoso, Padre Bernardo, Planaltina e Buritis.

Rollemberg, no entanto, pouco se envolveu com os acontecimentos políticos do Entorno. Sua influência se deu por meio do sobrinho, Armando, vice-prefeito eleito em Alexânia, e sua filha, Gabriela, que apoiou e ajudou o candidato do PSB em Cristalina.

O prefeito de Valparaíso, Pábio Mossoró, não foi encontrado para conceder entrevista. A imprensa oficial do PSDB de Goiás, no entanto, cita o tucano como parte da “base de Marconi Perillo, atual governador do Estado” e exalta o domínio da legenda no Estado, com 77% das prefeituras sob seu comando.

Postado por Marcelo Carlos (com as informações do Jornal de Brasília)