Segundo matéria publicada ontem (29), no jornal Correio Braziliense, pelo menos sete municípios do Entorno estão em alerta para o alto índice de contaminação de dengue. Luziânia (656), Valparaíso de Goiás (376), Padre Bernardo (188), Santo Antônio do Descoberto (166) e Águas Lindas (133) lideram o ranking de infecções — a Secretaria Estadual de Saúde de Goiás colocou as duas primeiras cidades em situação de alto risco de contágio, devido à incidência do Aedes aegypti.

De acordo com a matéria do Jornal, as autoridades sanitárias não conseguem entrar em 40% das casas nos municípios vizinhos do DF. O Correio Brazilienze ainda diz que, o governador Rodrigo Rollemberg (PSB) defende que o combate à dengue não tenha fronteiras e aposta em uma ação conjunta entre a capital e Goiás para debelar a crise. Entretanto, o chefe do Executivo no Distrito Federal tem que lidar com os problemas de casa. Na última quinta-feira, o vice-governador, Renato Santana, criticou o combate exercido em Brasília, o que desagradou ao titular do Buriti.

O GDF quer atenuar os problemas que o avanço do inseto no Entorno possa causar na capital federal. Das residências visitadas em Valparaíso de Goiás, a 37km do Plano Piloto, por exemplo, 72,54% estavam fechadas. Isso significa que, a cada 100 casas, os agentes fiscalizaram apenas 28.

Na quinta-feira (28), Rollemberg se reuniu com prefeitos para estabelecer critérios de trabalho. O socialista está disposto a oferecer equipamentos, como carros fumacês, e agentes de vigilância epidemiológica. Contudo, os goianos querem dinheiro. “Por enquanto, não haverá nenhum tipo de repasse financeiro. Precisamos reforçar a necessidade de uma integração cada vez maior no combate ao mosquito da dengue. As equipes vão definir na semana que vem os detalhes”, explicou o governador.

Por Marcelo Carlos (com as informações do Correio Braziliense)