Os três principais candidatos a prefeito em Valparaíso de Goiás, no Entorno do Distrito Federal, em um passado não tão distante, foram aliados e defendiam o mesmo grupo político de Marconi Perillo (PSDB), governador do estado de Goiás por quatro mandatos, eleito pela primeira vez aos 35 anos, em 1999.

Até o ano de 2015, os prefeitáveis Afrânio Pimentel (PR), Dr. Roberto Martins (PT) e Pábio Mossoró (PSDB), caminhavam juntos e apresentavam-se como os postulantes pré-candidatos a prefeito defendidos pelo tucanato local liderado por Lêda Borges de Moura (PSDB), ex-prefeita da cidade, deputada estadual licenciada e titular da Secretaria Cidadã. Porém, por interesses políticos distintos, desconfianças partidárias e vontade de governar o município, alguns laços acabaram sendo rompidos, pois não havia espaço para todos na base do PSDB de Valparaíso.

Afrânio Pimentel (PR)

Afrânio Pimentel (PR) é considerado o maior adversário dos tucanos nas eleições municipais de 2016. O candidato a prefeito tem experiência de três mandatos como vereador, tendo sido presidente da Câmara de Vereadores por quatro oportunidades, sendo também no passado vereador eleito pelo PSDB de sua ex-aliada Lêda Borges. Em 2008, ele abriu mão de ser vice da candidata a prefeita eleita Lêda (dando espaço para Adolfo Lopes que fora bancado financeiramente pelo DEM-DF). Quatro anos depois, Afrânio desistiu de candidatura a deputado estadual (para apoiar Lêda Borges – eleita com mais de 30 mil votos). Neste ano de 2016, Pimentel esperava ser apoiado por Lêda à prefeitura de Valparaíso, e chegou a sinalizar sua ida para o PP do senador Wilder Morais. Entretanto, voltou atrás, e percebendo que não teria espaço no grupo ledista, resolveu lançar candidatura ao majoritário pelo PR. O Partido da República em Goiás é liderado por Magda Mofatto, ex-prefeita de Caldas Novas e deputada federal. Ela é uma das lideranças políticas mais importantes do projeto eleitoral que reelegeu Marconi Perillo governador nas últimas eleições estaduais. Durante várias oportunidades, a líder do PR visitou o município goiano do Entorno Sul, mostrando dar suporte político e declarando total apoio a Afrânio Pimentel. Além da deputada federal, podemos citar Alexandre Baldy como outro grande apoiador do prefeitável. O deputado federal foi eleito pelo PSDB em 2012, e, atualmente, lidera o PTN goiano, representado o partido na Câmara dos Deputados em Brasília-DF. Até o início do ano de 2016, Baldy era um dos nomes de confiança do tucanato goiano, liderando pesquisas e cotado para ser candidato a prefeito pelo PSDB no município de Anápolis-GO. Alexandre é amigo de Afrânio Pimentel, contou com seu apoio para ser eleito deputado e manifesta confiança na candidatura do PR em Valparaíso.

Pábio Mossoró (PSDB)

Pábio Mossoró é o único dos pré-candidatos ao majoritário lançados por Lêda Borges a permanecer no projeto político do PSDB de Valparaíso. Contudo, os demais prefeitáveis que deixaram o grupo comandado pela tucana, sempre destacaram que o candidato a prefeito tucano foi favorecido por ser filiado à legenda da deputada e do governador Marconi Perillo. Por isso, hoje é o nome defendido no município por aliados ledistas e marconistas, sendo um dos favoritos a assumir a Prefeitura Municipal em 2017. Mossoró se aproximou de Lêda em meados do ano de 1997, quando a mesma era secretária municipal de Educação do prefeito José Valdécio. No ano 2000, a amizade foi fortalecida quando os dois caminharam juntos no PDT e participaram de campanha que elegeu Lêda vereadora da cidade. Em 2007, Pábio e Lêda foram para o PSDB, agremiação partidária onde ela foi eleita prefeita e ele vereador. Após mais quatro anos de parceria política, em 2012, o tucano foi reeleito vereador e Lêda Borges acabou sendo derrotada na tentativa de reeleição à Prefeitura de Valparaíso.  A escolha de Mossoró pelo PSDB sempre foi dada como certa para as eleições municipais.  Seus ex-colegas de grupo que optaram por caminhos diferentes, com certeza não teriam espaço e figurariam no máximo com uma candidatura a vice da chapa encabeçada pelo psdbista. Pensando nesta grande possibilidade, eles decidiram buscar crescimento político longe do círculo marconista, considerando que o líder tucano jamais abriria mão de uma candidatura à prefeitura do PSDB no município.  Além de Marconi e Lêda, apoiam Pábio Mossoró, o deputado federal Célio Silveira, o senador Wilder Morais, a senadora Lúcia Vânia, dentre outras lideranças da base de sustentação do governo estadual, que há anos está no poder e comanda a política em Goiás.

Dr. Roberto Martins (PT)

No ano de 2012, Dr. Roberto Martins foi candidato a vereador pelo PSL e defendeu a reeleição da ex-prefeita Lêda Borges de Moura (PSDB). Até o início de 2016, ele era pré-candidato ao majoritário pelo PSL, porém, resolveu romper radicalmente sua ligação política do passado com Lêda, e foi parar no Partido dos Trabalhadores (PT) de Lucimar Nascimento, prefeita eleita há quatro anos e maior adversária política da tucana. Hoje, o advogado é candidato à prefeitura municipal, sendo defendido com unhas e dentes pelos petistas que atualmente governam o município. Vale a pena lembrar que o novo petista e postulante ao maior cargo eletivo da cidade, fez campanha nas ruas, subiu em trio elétrico, pediu votos e apoiou Lêda Borges em sua eleição à deputada estadual. Outra informação importante e que comprava o seu elo aos tucanos, mostra que no estado de Goiás, o PSL, ex-partido do prefeitável, integra a aliança que sempre levantou bandeira e defendeu o nome do governador Marconi Perillo. A legenda é liderada por Benitez Calil (pai) e também pelo deputado estadual Lucas Calil (filho). O último é um dos maiores apoiadores da candidatura do petista valparaisense.

Por Marcelo Carlos