João Marcos Caetano de Oliveira, de 19 anos, conhecido como Di Menor, morreu na noite desta segunda-feira, dia 16, em confronto com policiais do Batalhão das Rondas Táticas Metropolitana (Rotam), na cidade de Rubiataba, a 220 km de Goiânia. Ele era apontado pela Polícia Militar como um dos maiores criminosos no Estado de Goiás. Responsável por pelo menos 13 homicídios, de acordo com a polícia, João Marcos seria suspeito, ainda, de outros 20 assassinatos, além de ter 28 passagens pela polícia por latrocínio, tráfico de drogas, roubo, receptação e uso de documento falso.

O jovem era suspeito de matar o segurança do cantor Leonardo, Marco Antônio Rezende, em julho de 2015, em uma tentativa de assalto na feira livre da Vila União, em Goiânia. A polícia informou, também, que o acusado seria responsável pela morte de Evandro Rodrigues Cavalcante, ex-presidente da torcida organizada Força Jovem do Goiás Esporte Clube, morto ao sair de casa no Parque Santa Rita, em setembro de 2014, aos 37 anos.

De acordo com o subcomandante da Rotam, major Daniel Aleixo, os policiais chegaram à casa do suspeito por volta das 17h30 desta segunda-feira, quando foi feita a abordagem. Di Menor morava com a esposa, e ao ver a polícia tentou resistir à prisão, atirando contra os policiais, que revidaram e o atingiram. Ele chegou a ser levado ao hospital de Rubiataba, mas não resistiu e morreu. A esposa, que também era procurada pela Justiça por tráfico de drogas, foi presa pela Rotam, em cumprimento a mandado de prisão preventiva.

Organização criminosa
Na casa de Di Menor, em Rubiataba, os policiais encontraram porções de drogas, uma pistola de fabricação americana e um caderno com a contabilidade das atividades do grupo. A partir dos apontamentos, a polícia constatou que as atividades do traficante em Rubiataba junto à quadrilha geravam lucros mensais que chegavam a R$ 100 mil. “Mesmo longe de Goiânia, Di Menor continuava integrando a associação criminosa e mantendo contato direto com o líder”, afirmou o major Daniel.

Segundo informou o major, Di Menor era membro de uma organização criminosa que, nos últimos anos, foi responsável por diversos assassinatos entre quadrilhas rivais, na disputa por pontos de drogas nas regiões Sudoeste e Oeste de Goiânia. Preso em agosto de 2015, ele foi solto em setembro de 2016, e como estava ameaçado de morte devido à rixa com uma quadrilha inimiga, mudou de Goiânia para a cidade de Rubiataba, onde continuou praticando crimes.

Di Menor era considerado o braço direito do traficante Tiago Topeti, rival de Iterley Martins de Souza, preso em 2015 no estado do Ceará, de onde comandava o tráfico de drogas em Goiás. A polícia informou que Topeti está preso no Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia, mas que já há solicitação junto ao Poder Judiciário para que ele seja transferido para o presídio de segurança máxima em Campo Grande (MS).

Via Goiás Agora