Compartilhe esta matéria!

Startups finalizam 2021 em alta e se mostram um bom investimento para fugir das gigantes

A importância da educação financeira está cada dia mais presente na vida dos brasileiros.

Imagem: jornalcontabil

Nunca se falou tanto em educação financeira e as melhores formas de investir o nosso suado dinheirinho. Seja para gerar mais dinheiro, viver com, mas de investir o nosso suado dinheirinho. Seja para gerar mais dinheiro, viver com mais conforto, realizar sonhos, ou divertir-se nos sites dos melhores cassinos online (fonte: https://cassinov.com/).

A importância da educação financeira está cada dia mais presente na vida dos brasileiros. Nesse momento de crise em que vivemos, onde os custos sobem cada vez mais, a busca por opções para se ganhar dinheiro passa a ser o ponto almejado pela maioria.

Uma das opções, nesse nosso mundo que anseia por soluções rápidas e eficazes para tornar a vida mais prática, são as Startups. Mas antes de iniciarmos nosso artigo, vamos saber o que é uma Startup;

O conceito de startup se trata de uma empresa em fase inicial que possui uma proposta de negócio inovadora e com um grande potencial de crescimento. Podem atuar em qualquer área ou tipo de mercado e, normalmente, utilizam a tecnologia como base. As startups se destacam por três fatores principais: inovação, escalabilidade e flexibilidade.

Esse tipo de investimento, atualmente, é o preferido de empresas que trabalham diretamente com capital de risco, uma forma de se fazer dinheiro, investindo em empresas que estão iniciando, mas com um potencial de sucesso imenso, fazendo com que, por muitas vezes, esses grupos optem por startups ao invés de investir em empresas já consolidadas no mercado.

Como exemplo, recentemente o CEO de uma das maiores gestoras de investimentos do mundo, em uma entrevista, a preferência em se investir e novas empresas de tecnologia e não nas gigantes já existentes.

Segundo Geoff Lewis, CEO da Bedrock, “as grandes empresas, que têm valor de mercado maior que o PIB de muitos países, não despertam sensações”. O executivo destacou, na última década, o movimento de descentralização do ecossistema de startups tecnológicas. “A tecnologia era uma indústria centralizada na Califórnia e se transformou em uma força social redefinindo todas as indústrias globalmente”

Criar essas empresas já pensando em vende-las, virou o objetivo principal desses investidores. Muitos relatam que o grande segredo é descobrir qual o comprometimento do empreendedor com seu projeto no longo prazo, uma vez que por se tratar de um investimento de risco, as chances de uma startup quebrar e não trazer lucros é enorme.

Para que haja um bom lucro, é preciso ter no portfólio algumas daquelas startups que se tornam unicórnios, ou seja, superam o valor de mercado de US$ 1 bilhão antes de serem vendidas ou fazerem uma abertura de capital.

Alex Szapiro, do SoftBank, acredita que a chave do sucesso para startups de tecnologia seja multifatorial, sendo composta por: buscar e reter talentos; ter resiliência no negócio; estar preparado para mudar o curso dos negócios; construir uma cultura empresarial forte; e efetivamente resolver um problema para o cliente.

Complementa dizendo que, “O time precisa ser muito bom. Ele precisa ser forte e se complementar. É isso que fará a diferença no final do dia. As coisas mudam tão rápido que os empreendedores precisam estar prontos para mudar o negócio. A falha é importante. Em outros países, a falha é muito bem vista porque mostra que o empreendedor já passou por grandes problemas antes. A simplicidade, por fim, é muito importante. A Apple, por exemplo, conseguiu no hardware e no software surpreender o cliente. Todo mundo acha que a simplicidade é fácil, mas ela precisa de muito suor e energia para ser atingida”. O SoftBank tem investido em empresas brasileiras nos últimos anos, como Gympass, Cobli e Pismo. Na América Latina, uma das startups mais emblemáticas que compõem o portfólio de investimentos do grupo japonês é a colombiana Rappi, que atua no segmento de entregas.

  • Arte imitando a vida!

Um tema que cresce e se populariza cada vez mais, não passaria muito tempo sem ganhar o mundo dos seriados de televisão. Em 2016 foi lançada a série com o título StartUp, que apenas ganhou holofotes depois que a Netflix comprou os direitos de exibição e disponibilizou em diversos países. Envolvendo dinheiro, tecnologia e gangues no cotidiano de Miami, chamou bastante atenção chegando ao Top 10 do streaming rapidamente.

A série possui 3 temporadas disponíveis e a previsão para a chegada da 4ª temporada em novembro ou dezembro de 2022. Vale a pena conferir.

Alô Valparaíso/Com as informações