Sistema prisional faz as primeiras videoconferências de audiências judiciais em Goiás

Objetivo é fortalecer as ações de segurança pública, por meio da utilização da tecnologia e telecomunicação

As primeiras videoconferências de audiências judiciais da história do sistema prisional foram realizadas na última quarta-feira (12/06).

Segundo a Diretoria-Geral de Administração Penitenciária (Dgap), sete audiências foram feitas no Presídio Estadual de Anápolis, unidade pertencente à 9ª Regional Prisional da instituição. A ação faz parte do Programa de Videoconferências/Teleconferências para Audiências Judiciais de Custodiados.

Para o gerente da Getic, Maruzan Monteiro, idealizador do programa, a introdução das videoconferências para execução das audiências em presídios gera economicidade ao Estado e maior aporte à segurança para os presos, para os servidores do sistema prisional e para a sociedade, a partir da substituição do modelo de escolta dos custodiados às localidades onde são realizadas as audiências. “A tecnologia vai garantir economia de recursos financeiros com o fim do deslocamento de presos para as audiências judiciais, treinamentos e vistorias”, afirma Monteiro. “O programa vai contribuir também com a segurança do sistema penitenciário, além de evitar o gasto de tempo de servidores do Executivo e Judiciário”, garantiu.

De acordo com o diretor-geral de Administração Penitenciária, coronel Wellington Urzêda, a implantação do programa vai ao encontro das diretrizes de política penitenciária idealizadas pelo Governo de Goiás. “Por determinação do senhor governador Ronaldo Caiado, a administração penitenciária iniciou tratativas necessárias com o Poder Judiciário e Ministério Público do Estado para que, em parceria, possamos fazer as audiências dentro dos presídios, em todas as regionais da Dgap”, afirmou.

O diretor do Presídio de Anápolis, David Ferreira, a videoconferência em audiências vai contribuir para maximizar os recursos do Estado. “Ao mesmo tempo, o programa trabalha na redução dos riscos com o recambiamento de presos de alta periculosidade”, finalizou.

Da Redação do Alô Valparaíso/*Com as informações da Dgap
preso

Videoconferências de audiências judiciais estão sendo realizadas em Goiás. (Foto: Dgap)

Compartilhe esta matéria!