O polêmico tema que trata a cobrança baseada em franquia de dados para a internet esquentou o clima e revoltou muitos clientes Brasil a fora. Principalmente, na cidade de Valparaíso e no Estado de Goiás.

No entanto, com o intuito de apaziguar os ânimos, o senador goiano Wilder Morais, do Partido Progressista (PP-GO), convocou uma audiência pública para esclarecer a proposta das operadoras de limitar o consumo de dados na web.

O requerimento para essa audiência foi protocolado na última quarta-feira (13) e será discutido na próxima reunião da Comissão de Serviços de Infraestrutura do Senado Federal. O objetivo é debater a mudança brusca na forma de cobrança que impactará diretamente o modo como o consumidor brasileiro acessa a internet e os serviços que dela dependem.

No meio da semana, em entrevista à rádio Jovem Pan, o senador do PP afirmou que a audiência avaliará os impactos da mudança proposta pelas operadoras. Morais entende que a intenção é aumentar a qualidade dos serviços oferecidos e não diminuir a oferta.

Segundo Wilder Morais, o novo modelo afetará principalmente as pessoas com menor poder aquisitivo porquê os pacotes mais básicos em termos de velocidade de conexão também contarão com uma franquia de dados na casa dos 10 GB, o que não é suficiente caso seja utilizado serviços como a Netflix e reprodução de vídeos no Youtube.

Ainda de acordo com o Parlamentar, além dos representantes das operadoras também serão convocados à secretaria Nacional do Consumidor do Ministério da Justiça, Juliana Pereira, Maximiliano Martinhão, secretário de Telecomunicações do Ministério das Comunicações, Elisa Leonel, superintendente de Relações com os Consumidores da Anatel, Darlene Azevedo Araújo, superintendente de Proteção aos Direitos do Consumidor do Estado de Goiás, e do presidente-executivo do Sindicato Nacional das Empresas de Telefonia e de Serviço Móvel Celular e Pessoal, Eduardo Levy.

Postado por Marcelo Carlos