Compartilhe esta matéria!

Sem tabu: Cuide da vulva

Especialistas alertam que a falta de higiene íntima pode provocar infecções bacterianas e proliferação de fungos. Por isso, esses cuidados de higienização devem fazer parte da rotina diária das mulheres.

Vulva é a parte externa da vagina, que inclui a abertura da vagina, os lábios maiores, os lábios menores e o clitóris. E é ela que as mulheres devem lavar e não a vagina. Segundo a profissional Fernanda Torres, de 27 anos, a maioria das infecções vaginais leves são tratadas com o uso de cremes e pomadas. Entretanto, os casos em que o tratamento não é buscado podem evoluir para doenças inflamatórias pélvicas, cujo tratamento segue com antibióticos. Casos de complicações mais severas podem provocar ainda abscessos tubo-ovarianos, que resultam em gravidez ectópica e infertilidade, por exemplo.

Cuidar da higiene dessa parte do corpo, no entanto, é tão importante quanto cuidar de outras partes. Do mesmo jeito que precisamos nos lembrar de escovar os dentes, investir em uma alimentação balanceada e praticar exercícios físicos, é fundamental adotar uma rotina de higiene íntima correta e regular.

Você sabia?

É super normal o seu corrimento manchar as calcinhas, por causa do tipo de bactérias que vivem lá. Então, teoricamente, se seu corrimento é levemente ácido, potencialmente poderia mudar a cor do tecido da calcinha, afirma a ginecologista Fernanda Torres. 

Como Higienizar sua parte íntima: 

A Ginecologista afirma que para manter a higiene da vulva basta lavar com água e sabonete específico, não havendo necessidade de lavar a vagina pois a mesma é auto limpante se houver algum odor forte, corrimento marrom ou amarelo escuro procure um ginecologista. 

Dicas de como manter sua vagina e vulva saudáveis: 

  • – Não fique muito tempo com biquínis molhados
  • – Não use duchas para lavar a vagina 
  • – Lave com pouco sabonete apenas a vulva
  • – Prefira calcinhas de algodão
  • – Tente ficar ao menos uma vez na semana sem calcinha
  • – Faça sexo com camisinha
  • – Não use perfumes na vulva e nem na vagina
  • – Não lave as calcinhas no banheiro
  • – Prefira lavar as calcinhas com sabão de coco ou neutro
  • – Faça visitas regulares ao ginecologista 

Para Larissa Reis,de 23 anos, publicitária, a higiene íntima e cuidado era um tabu dentro de casa “Nem quando menstruei a primeira vez minha mãe me ensinou a colocar o absorvente, aprendi sozinha e a mesma afirmava que corrimento na calcinha era algo totalmente nojento, hoje entendo que não. Fui a primeira vez a um ginecologista aos 18 anos, o cuidado com nossas intimidades ainda é um tabu e acredito que por isso tanta gente pega doenças e engravida”.

A ginecologista dá um bônus afirmando que odor forte na vagina podem ser cinco tipos de doença, infecção por bactéria, infecção por fungo, por vírus e nos piores casos DST e câncer no colo do útero. Para diagnosticar e recomendar o tratamento deve-se procurar um especialista.

   

Da Redação do Alô Valparaíso/