Compartilhe esta matéria!


Relacionamento abusivo: quando o amor deixa de ser saudável e vira obsessão 

Estima-se que de 5 mulheres 3 já sofreram um relacionamento abusivo

No Brasil e no mundo existem vários tipos de violência que machucam e calam mulheres em todos os lugares. Nosso país ocupa o 5º lugar no ranking de feminicídio de acordo com a ONU Mulheres. E os índices são preocupantes. Cerca de 41% dos casos de violência acontecem dentro de casa. Além disso, 3 em cada 5 mulheres sofreram, sofrem ou sofrerão violência em um relacionamento afetivo.

Para a psicóloga Ana Paula o problema da mulher sofrer tanto com a violência é a educação dada para as crianças “Os homens são criados para usar as coisas aprendem desde pequenos que as mulheres deveriam ser usadas e servi- los, e grande parte das mulheres também são criadas a partir da ótica que deveriam servir os homens” 

E completa “Hoje temos uma parcela que pensa diferente e busca por seus direitos e muitos homens não querem aceitar perder o controle de suas esposas e filhas e terminam optando pela violência o que não é certo”.

A especialista afirma que homens que perdem a cabeça muito fácil e que não sabem agir quando perdem o controle devem procurar ajuda de um especialista. Essa é uma questão de aprendizado e desconstrução, afirma Ana. 

(Imagem: Saude.abril/Reprodução)

Conheça os tipos de violência silenciosas: 

 Psicológica – O abusador usa de manipulações psicológicas para acoar a vítima como por exemplo ridicularizando seu corpo ou sua personalidade. 

Moral- Quando o indivíduo usa de calúnia difamação ou injúria. Exemplo o autor afirma que se a vítima terminar ele vai contar para todos o que ela faz em uma relação a dois ou que a mesma já o traiu. 

Patrimonial – Quando o autor retém dinheiro, roupa, casa ou seja patrimônios da vítima. 

Todas essas violência podem evoluir para uma violência física e se a relação não for cortada o quanto antes, pode vir a morte da vítima.

Saiba como sair da relação

Primeiramente acredite que tem saída apesar de ser difícil você não está sozinha busque ajuda de alguém que você confie, não tente resolver tudo sozinha nem terminar a relação a sós com o indivíduo ele pode perder a cabeça e cometer algum delito. 

Caso seja dependente financeira do abusador procure maneiras de conseguir a independência financeira novamente não tenha vergonha de pedir ajuda. Faça terapia, muitas mulheres acreditam que são apaixonadas pelos agressor o que não é verdade em uma relação abusiva existe muita coisa mas o amor não é uma delas.

E a principal denúncia ligue 180.

Da Redação do Alô Valparaíso