Compartilhe esta matéria!

Recordar para não esquecer

Em agosto deste ano, a banda retomou as atividades e lançou seu novo trabalho: Um EP com 4 faixas intitulado “Violência”, nome de uma das músicas presentes. A temática do EP é variada, trata de desigualdade social, temas urbanos, amorosos e do cotidiano de todos.

Daniel Ferreira Veiga 38 anos (Guitarrista e Vocalista), Pedro Ferreira Veiga 36 anos (Drox) (Baixista e Vocalista), Mensala Carneiro 28 anos (Guitarrista) e Samuel Itadara (Ita) 26 anos (Baterista) compõem a banda Marimbondo. O grupo existe desde 2016, mas os irmãos Daniel e Drox tocam juntos desde 2001, influenciado pelos pais e irmão mais velho que eram músicos amadores. Em 2016, junto com os amigos Snnyfin Rootz e Rafael Furmiga (ex-integrante) fundaram a Marimbondo. O Primeiro álbum foi lançado em 2018 (A mudança é você) e abriu muitas portas para a banda que chegou a abrir, no mesmo ano, shows de artistas consagrados da nossa música como: Capital Inicial, Lobão, Rodrigo Santos (Ex baixista do Barão Vermelho), Marcão Britto (Ex guitarrista do Charlie Brown Jr. E Badauí, vocalista da banda CPM22.

Em 2019, a banda realizou diversos shows pelo DF e lançou o Single “Meu Lugar”, uma homenagem a todos os motociclistas e motoclubes do Brasil.

Em 2020 a banda lança mais um single “Promessas Falsas” e para suas atividades por conta da pandemia do coronavírus

Em agosto deste ano, a banda retomou as atividades e lançou seu novo trabalho: Um EP com 4 faixas intitulado “Violência”, nome de uma das músicas presentes. A temática do EP é variada, trata de desigualdade social, temas urbanos, amorosos e do cotidiano de todos. Esse trabalho foi lançado dia 30 de novembro de 2021 e já está disponível em todas as plataformas digitais.

Enredo é a música que abre esse trabalho. A música é uma história fictícia com enredo, personagens e é uma crítica à sociedade que pratica o falso moralismo e a hipocrisia. Letra composta por Daniel. E uma capa com o desenho de forte impacto da Designer Tatiana Araújo.

Em agosto deste ano, a banda retomou as atividades e lançou seu novo trabalho: Um EP com 4 faixas intitulado “Violência”, nome de uma das músicas presentes. A temática do EP é variada, trata de desigualdade social, temas urbanos, amorosos e do cotidiano de todos. Esse trabalho foi lançado dia 30 de novembro de 2021 e já está disponível em todas as plataformas digitais. Arte: Tatiana Araújo

“A letra da música Violência foi inspirada em uma história real. Em 2013 os irmãos da banda sofreram um assalto dentro de casa, onde foram amarrados e ameaçados por mais de 2 horas. A mensagem da música é que nenhum tipo de violência deveria ser banalizada, além de criticar também a violência cometida por políticos que praticam a corrupção. Letra também de Daniel.

A terceira faixa é a balada do trabalho. Essa música foi composta pelo irmão mais velho dos membros da banda, Tiuks Ferve. É uma música que canta a história de um grande amor frustrado, que ainda dói, mas que, apesar de tudo, o personagem ainda deseja o melhor para a pessoa que o deixou.

Do Bem é a última música do EP. O compositor, Daniel, utiliza a figura do Diabo como uma metáfora para representar o mal, mas a música não fala da entidade, mas sim de uma pessoa comum, que carrega dentro de si os dois lados, o bom e o mau.

O estilo da banda é Rock n Roll misturado com batidas e ritmos brasileiros como o Samba rock, baião e pitadas de outros ritmos como o reggae e o funk norte americano.” Explica Daniel

O conta que a maior dificuldade de uma banda autoral, realmente, é a falta de espaço, “existem festivais que é onde podem mostrar o trabalho, mas as casas de show, pubs que fariam parte do dia a dia não abrem as portas (com exceção do Saloon de samambaia, que sempre deu espaço) quando abrem é em dias e horários secundários, dando preferência sempre ao Cover. Sabemos que a maior parte do público gosta de sair de casa sabendo exatamente o que vai ouvir, o ser humano prefere o certo do que ouvir coisas novas. Mas, seria fácil solucionar essa questão. Basta os donos dessas casas continuar colocando as bandas Covers (inclusive já fizemos e respeitamos todos os trabalhos dos músicos) mas colocar 1 banda autoral também na mesma noite! Dessa forma, o dono da casa teria o público esperado, o público iria ouvir sua banda cover preferida e, de quebra, passar a conhecer uma banda autoral nova”. Exclama Daniel

Ainda contam que não têm apoio financeiro de ninguém. “O apoio que temos é de pessoas que, assim como nós, lutam para a cena dar certo. Podemos citar a Laura Machado e a Sol, que apresentam o programa Entre conversas e poesias, a Ana coelho que sempre dá uma força, Cida San, produtora cultural do lendário Sarau Psicodélico, a banda Azzarok que é parceira de verdade, Gabriel Thomaz, que na época que produziu nosso primeiro Álbum ajudou muito com contatos importantes, dicas etc. O festival Brasília Capital Moto Week porque eles são o ÚNICO festival grande que coloca bandas autorais em horários nobres em cima do palco principal… outros festivais grandes até dão espaço para o autoral, mas é aquela coisa, vai tocar de tarde quando o público ainda não tiver chegado. Apoio da nossa família, claro, que sempre deu e continua dando força e dos fãs que estão sempre ouvindo Marimbondo, vendo os clipes e dando feedback para a gente, vocês são o motivo do nosso trabalho e empenho”. Conclui a banda 

A banda, no ano de 2022, vai fazer um trabalho paralelo de cover para poder abrir portas e possibilitar o investimento em seu foco principal, que são as músicas autorais para fazer clipes, gravações futuras e fotos.

Recordar para não esquecer

O conta que a maior dificuldade de uma banda autoral, realmente, é a falta de espaço, “existem festivais que é onde podem mostrar o trabalho, mas as casas de show, pubs que fariam parte do dia a dia não abrem as portas (com exceção do Saloon de samambaia, que sempre deu espaço) quando abrem é em dias e horários secundários, dando preferência sempre ao Cover

Existem 3 momentos marcantes na história da Banda. O mais marcante foi o Capital Moto Week de 2018, uma grande oportunidade de tocar para (34 mil pessoas) abrindo o show da banda Capital Inicial. Outro momento marcante foi quando abriram o Show do Ex baixista do Barão Vermelho, Rodrigo Santos. Esse momento foi especial por 2 motivos: primeiro porque Barão sempre foi influência forte da banda e segundo pois ganharam esse privilégio com voto popular no Facebook. 

E outro momento inesquecível, aconteceu no Sarau Psicodélico na Chapada dos Veadeiros, onde, pela primeira vez, ouvimos o público cantar a plenos pulmões o refrão da nossa música “Chapado na chapada” música que ainda não gravamos. Nesse dia tivemos que tocar essa música duas vezes e foi um momento lindo.

“Queremos alcançar cada vez mais o nosso público, sabemos que ele existe e estamos batalhando por espaço para que nosso som chegue nesse público”. Conclui a banda

Segue aí:

@marimbondooficial (Instagram)

marimbondoficial (facebook)

Canal do youtube é o Marimbondo Banda

As músicas você encontra em todas as plataformas digitais… spotify, deezer, apple music, amazona music, youtube music 

Alô Valparaíso/Com as informações