O presidente da Celg D, Abel Rochinha, considerou que os investimentos da Enel em Goiás estão sendo realizados dentro da planilha elaborada pela empresa à época da privatização. Ele lembrou que a subestação de Santa Helena já é a quarta inaugurada em apenas um ano de atuação no Estado. Duas outras estão prontas para entrar em operação, aguardando apenas a conclusão da linha de transmissão, prevista para no máximo 40 dias, afirmou.

“Vamos mudar a face de Goiás no tocante a energia”, declarou, ao garantir para o governador que “essa empresa será, sim, a primeira do Brasil muito em breve”. Concluiu dizendo que a Celg D continua trabalhando para atender a demanda. “O Estado está crescendo e vamos fazer parte disso. Há um longo trabalho que teremos pela frente, mas valerá a pena”.

A subestação Ipeguari vai beneficiar cerca de 20 mil famílias de Santa Helena, Rio Verde, Santo Antônio da Barra e Maurilândia. Sua potência inicial instalada é de 33 mil KVA, o que somado à potência da atual subestação, de 20 mil KVA, vai mais que dobrar a capacidade de Santa Helena, que chegará a uma potência instalada de 53 mil KVA. “Com a inauguração de Ipeguari, o município terá sua segunda subestação, o que vai aumentar a capacidade de atendimento e melhorar a qualidade do serviço prestado na região”, declarou o presidente da Celg Distribuição, Abel Rochinha.

A nova subestação foi construída com investimentos de R$ 24 milhões. Com tecnologia digital e automatizada, está equipada com cinco alimentadores de 13,8 KV e conectada por uma linha de alta tensão em 138 KV, com 33 quilômetros de extensão, ao sistema Interligado Nacional (SIN), através de uma subestação de Furnas.

Via Goiás Agora