Compartilhe esta matéria!

Preparação dos jovens para o mercado com tecnologias

É imprescindível que um jovem de hoje saiba mexer nas ferramentas do pacote office e nas redes sociais para ter sucesso na carreira

Em um mundo cada vez mais conectado, aprender programação é tendência especialmente para crianças e adolescentes. Já não é surpresa que a garotada consegue de forma rápida e precoce manusear smartphone, tablet e notebook. Por isso, quando desde cedo elas têm contato com a linguagem de programação é natural que desenvolvam habilidades importantes para o mercado do futuro. 

Seguindo esse caminho, o Brasil já está começando a estimular o aprendizado de programação entre sua população mais jovem, à exemplo de países como Estônia, Finlândia e Austrália. Criar um aplicativo, um site ou até mesmo um novo recurso para um videogame, se torna possível e cada vez mais simples no universo em que vivemos hoje.  

De acordo com Tiago Pigatto, especialista em novas tecnologias e coordenador da Simplicode, startup de programação para crianças, cada vez mais empresas precisam de profissionais de tecnologia e a demanda por mão de obra especializada deve continuar em crescimento. “O problema é conseguir profissionais suficientes para acompanhar o crescimento do número de vagas. Por isso, é essencial acrescentar essa habilidade desde cedo no mundo dos pequenos. Os benefícios são diversos e as ferramentas também. Atualmente o mercado tem muitas opções como por exemplo, o Roblox, que é mais indicado para crianças que gostam de jogar e podem construir seu próprio mundo e ao mesmo tempo aprender programação. Para crianças mais novas que estão passando ou acabaram de passar pelo processo de alfabetização tem o Scratch que é uma plataforma criada pelo MIT onde é possível criar pequenos joguinhos e aprendem a programar. O processo é muito divertido e promove habilidades como raciocínio lógico e resolução de problemas, além da criança adquirir uma habilidade que vai ajudá-la muito no futuro”, afirma. 

(imagem: Tribunapr/Reprodução)

Mariane, arquiteta de 27 anos, mãe da pequena Pietra de 5 anos, afirma que a filha interage bem com as tecnologias, mas que tudo tem seu tempo. “Desde pequena ela tem contato, então muito cedo aprendeu a pular os desenhos acessar ao youtube a ligar o computador a tv e o celular, mas tudo com tempo é fundamental hoje que uma criança tenha noção de como mexer nas ferramentas, mas nada com exageros para que no futuro não tenham problemas”.

E completa: “Pietra já faz curso de inglês e de informática básica, quanto mais cedo aprendem mais fácil é”. 
Um estudo realizado pela consultoria em recursos humanos Korn Ferry, consultou executivos brasileiros, e chegou a conclusão que pode faltar nos próximos anos no Brasil profissionais capacitados, para vagas abertas em diversos setores, entre eles a área de tecnologia. O levantamento da Korn Ferry aponta que o ‘déficit’ de profissionais pode atingir 5,7 milhões de vagas abertas ou preenchidas por pessoas sem a competência esperada até 2030.  E é aí que entra a importância de aprender programação e desenvolver essa habilidade que será decisiva no mercado de trabalho do futuro. “Hoje em dia já temos empresas que colocam como obrigatório a necessidade de saber programar ou de pelo menos conhecer. Será o próximo Inglês do mercado de trabalho”, finaliza o especialista.

Da Redação do Alô Valparaíso