Na última semana, a Prefeitura de Valparaíso de Goiás, realizou uma ação que retirou barracas alugadas da tradicional Feira do Céu Azul. A justificativa apresentada pelo Poder Público Municipal esclarece que o espaço será revitalizado e que após a realização de uma reforma já programada, os feirantes terão infraestrutura para trabalhar e atender com mais qualidade toda a clientela que frequenta o local.

Segundo informação dos próprios feirantes, a maioria das barracas que estavam sendo utilizadas, por muito tempo foram alugadas e encontravam-se em péssimo estado de conservação. No entanto, o trabalho positivo da administração municipal, em algumas questões não é visto com bons olhos.

Muitos trabalhadores reclamam do desencontro de informações e julgam como truculenta a ação da Prefeitura Municipal. Eles também pedem transparência e não aceitam que o espaço descoberto da Feira do Céu Azul seja utilizado para a implantação do Banco de Alimentos. Haja vista que um local foi destinado para o projeto no ano de 2009, quando Lêda Borges (PSDB) era Prefeita de Valparaíso de Goiás.

“Nós não aceitaremos perder este espaço para o Banco de Alimentos. Por quais motivos a Prefeitura não cobre toda Feira? A promessa da prefeita Lucimar (PT) e da Cynthia Borges era essa, fazer uma cobertura em toda Feira”, disse um feirante.

Lembro também que o Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, repassou uma quantia no valor de R$ 240.000,00 para a Prefeitura Municipal de Valparaíso de Goiás. E que a obra deste Banco de Alimentos foi iniciada na gestão anterior, através do convênio “nº 31147/2009”, no valor de R$ 472.500,00. Porém, a edificação nunca foi finalizada e a atual administração da cidade segue sem prestar esclarecimentos sobre o caso. O local destinado ao projeto fica localizado no Bairro Valparaíso II, mas precisamente ao lado do CAIS.

banco

Foto: Marcelo Carlos – Área destinada para o Banco de Alimentos já existe, e fica localizada ao lado do CAIS em Valparaíso II.

Segundo Cynthia Borges, secretária de Desenvolvimento e Infraestrutura Urbana, o município possui pouquíssimos espaços públicos e que diante deste fato, seria um crime destinar o local apenas a ocupação de uma Feira que ocorre somente aos domingos.

“A Feira do Céu Azul deve acontecer em um espaço livre e desmontável. Essa opinião de que feira deve funcionar apenas num espaço fechado é uma das péssimas influências do DF, que é uma ilha da fantasia cheia de áreas públicas e de dinheiro para construir coisas sem utilidade. Aqui uma mesma coisa precisa ter múltiplas funções, os investimentos precisam ser racionalizados e é preciso coragem para fazer”, afirmou Cynthia Borges.

Conversando com uma representante da Comissão Mista, que foi formada para discutir o futuro da Feira do Céu Azul, descobri que por parte da Administração de Valparaíso houve apenas imposições e que em nenhum momento ela foi ouvida. A mesma declara que muitos participantes do grupo estão aceitando algumas situações por estarem agindo politicamente em favor da prefeita Lucimar Nascimento (PT).

Boa parte da população desconhece, e por este motivo é importante destacar que o Banco de Alimentos é um espaço físico onde são recebidos alimentos próprios para o consumo, mas que seriam desperdiçados em feiras, hortas, supermercados e etc. Nele os gêneros alimentícios são recebidos, selecionados, processados ou não, embalados e distribuídos gratuitamente a entidades da assistência social, restaurantes populares e cozinhas comunitárias. O foco principal do projeto é o combate ao desperdício de alimentos.

Por Marcelo Carlos