Compartilhe esta matéria!

Polícia prende ‘sugar daddy’ de 45 anos que atraía vítimas do DF para estuprá-las

Segundo investigação da Delegacia de Atendimento a Mulher (Deam), homem fez sete vítimas em Brasília, entre 2020 e 2021. Ele foi preso preventivamente.

Policiais da Delegacia de Atendimento a Mulher (Deam) prenderam, nesta terça-feira (11), um homem suspeito de crime sexuais contra sete mulheres no Distrito Federal. O mandado de prisão foi cumprido em Goiânia (GO), na casa do investigado, que tem 45 anos e mora com a mãe.

Segundo as investigações, as vítimas tem entre 19 e 25 anos e os crimes foram cometidos entre 2020 e 2021. O homem escolhia as mulheres por meio de um site de “sugar daddy”, expressão em inglês que representa o homem que se dispõe a “bancar” suas companheiras, com presentes, joias ou viagens.

As vítimas eram da Candangolândia, de Taguatinga, de São Sebastião e do Gama. O homem foi preso preventivamente, ou seja, por tempo indeterminado, e encontra-se à disposição da Justiça.

Segundo a polícia, ele criava um perfil falso e ficava conversando com as mulheres por um período de cerca de um mês, até marcarem um encontro em motéis. “No local, eles mantinham relação sexual vaginal consentida. Mas, depois, ele as obrigava, mediante violência, a manter coito anal e filmava os atos praticados, sem o conhecimento das vítimas”, conta a delegada da Deam, Ana Carolina Litran.

Conforme a delegada, em alguns casos, o homem mandou o vídeo para as vítimas e passou a ameaçá-las, dizendo que iria mostrar as imagens para amigos e familiares das jovens. Para não fazer isso, ele pedia que a vítima fizesse chamadas de vídeo para que ele pudesse se masturbar.

Na casa do suspeito de sugar daddy, policiais da Deam-DF apreenderam dinheiro, celular e computadores — Foto: Polícia Civil do DF /reprodução
Na casa do suspeito de sugar daddy, policiais da Deam-DF apreenderam dinheiro, celular e computadores — Foto: Polícia Civil do DF /reprodução

“É uma relação com diferença de idade grande, financeira, de conhecimento. É uma relação de poder e, então, isso acaba fazendo com que uma das partes se submeta à vontade da outra. As vítimas, muitas vezes, acabam esperando uma relação madura, um tratamento de princesa e, na hora ‘H’, a história é completamente diferente“, diz a delegada.

Na casa do homem os investigadores apreenderam dinheiro, celular e computadores que serão periciados. Ele vai responder por estupro e registro não autorizado da intimidade sexual.

Alô Valparaíso/*Com as informações G1