Em 2012, quando ainda era candidata à Prefeitura, a Professora Lucimar, do PT, encheu o povo valparaisense de esperanças em sua campanha, onde prometia revolucionar Valparaíso de Goiás e fazer da cidade um exemplo a ser seguido nos quatro cantos do País. 

As promessas também chegaram ao município, durante um comício realizado no bairro Céu Azul. Na ocasião, o ex-presidente Lula marcou presença no palanque vermelho, onde discursou a favor de Lucimar Nascimento e ajudou sua colega de partido a ser eleita prefeita naquele ano com 29.350 votos (56,00%).

Durante muito tempo, a atual gestora sempre fez questão de lembrar aos cidadãos de Valparaíso, que o seu mandato contaria com a ajuda do GDF, e principalmente, do Governo Federal, presidido por Dilma Rousseff (PT).

Lucimar realizou pronunciamentos, em 2012, que mostravam aos eleitores que o seu companheiro Luis Inácio Lula da Silva, ex-presidente do Brasil por dois mandatos, seria parceiro de nossa cidade. A petista também fez campanha usando o nome de Agnelo Queiroz, ex-governador do Distrito Federal, que recentemente foi condenado a ter seus direitos políticos suspensos, ficando inelegível durante 8 anos.

A contribuição de Dilma, Lula e Agnelo não chegou e às falácias de palanques nunca foram efetivadas como os munícipes esperavam. Enquanto isso, Valparaíso de Goiás padece com inúmeros problemas ocasionados por uma cidade administrativamente abandonada e refém de negociatas de seus representantes políticos.

O município vive uma crise profunda, falta dinheiro nos cofres públicos e talvez seja por isso que Lucimar Nascimento tenha desistido de sua reeleição no dia 2 de outubro. A prefeita parece não querer enfrentar um desgaste ainda maior e a provável rejeição nas urnas. Lucimar talvez saiba que a ajuda dos vizinhos do DF e do governo federal não chegará.

Tudo indica que finalmente o projeto do PT em todas as esferas do poder chega ao fim. Principalmente, após o ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva, ser levado pela Polícia Federal para prestar esclarecimentos à operação Lava-Jato.

Durante a manhã desta sexta-feira, agentes da Polícia Federal chegaram ao apartamento do petista, em São Bernardo do Campo, por volta das 6h, para cumprir ordem de busca e apreensão emitida pelo juiz Sérgio Moro. Além disso, Lula foi alvo de um mandado de condução coercitiva, quando o investigado é obrigado a depor, e foi levado para a sede da PF no aeroporto de Congonhas.

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva é o principal alvo da 24ª fase da Operação Lava Jato. Fábio Luiz da Silva, mais conhecido como Lulinha, também é alvo da investigação: agentes da PF estão em seu apartamento em São Paulo. A nova etapa da Lava Jato, batizada de Aletheia, faz referência à entidade mítica grega ligada à ‘busca pela verdade’. Segundo a Polícia Federal, a operação de hoje tem relação com os crimes de corrupção e lavagem de dinheiro relacionados ao escândalo da Petrobras. Lula é suspeito de ter recebido vantagens indevidas de empreiteiras durante e após seu mandato, como por exemplo a reforma de um sítio frequentado por ele em Atibaia e de um apartamento no Guarujá. No total, a PF cumpre nesta sexta-feira 33 mandados de busca e apreensão e 11 de condução coercitiva. O Instituto Lula também é alvo da operação. Seu presidente, Paulo Okamoto, deverá ser levado coercitivamente para depor. Grupos favoráveis e contrários ao petista estão na frente do prédio dele em São Bernardo e houve princípio de confusão.

Por Marcelo Carlos (informações do depoimento de Lula – El País)