Compartilhe esta matéria!

Papel a partir de resíduos agrícolas e bitucas de cigarro

FAP-DF apoia pesquisa de laboratório da UnB que também gera renda extra para agricultores

Descobrir novas matérias-primas naturais para produção de papel artesanal e oferecer fonte de renda alternativa a agricultores familiares. Esses são os objetivos do projeto “Desenvolvimento Tecnológico na Área de Produção de Papel Artesanal Utilizando Fibras Alternativas”, desenvolvido pelo Laboratório Experimental de Materiais Expressivos (Leme/UnB), com apoio da FAP-DF.

A iniciativa surgiu da necessidade de otimização do uso dos recursos naturais, do desenvolvimento de novos produtos e de reutilização de matérias-primas e resíduos. Nesse contexto, a equipe do projeto, coordenado pela professora Therese Hofmann Gatti Rodrigues da Costa, analisou resíduos, principalmente os agrícolas, que podem ser utilizados como matéria-prima para a produção artesanal de papel. 

O projeto do Laboratório Leme viabiliza, tecnicamente, a aplicação do reaproveitamento das fibras de coroa de abacaxi, cana do reino, taboa, casca de cebola e helicônia para a produção de papel. Como resultado, a equipe produz, além de papeis artesanais, cadernetas costuradas e encadernadas, blocos de anotações com acabamento espiral, blocos de rascunho, cartões, pastas e envelopes.

Além do projeto de reaproveitamento de resíduos sólidos para reciclagem e inclusão social, o Leme também fabrica papel a partir do reaproveitamento de filtros de cigarros usados e utiliza aglutinados para confecção de giz pastel.

As atividades do Leme também contam com parcerias com Banco Central, Brazil Foundation, Finatec, Ministério da Justiça, Sebrae e Moinho Brasil.

*Com informações da FAP-DF