O padre polonês Pedro Stepien, está sendo ameaçado de morte no Entorno do DF por milicianos do Rio de Janeiro.

O religioso trabalha há 14 anos na Paróquia Nossa Senhora do Perpetuo Socorro, no Lago Azul, bairro de Novo Gama-GO, e passou a ser ameaçado após acolher famílias na mira dos criminosos fluminenses.

Em encontro com bispos da Cúria da Igreja Católica em Brasília, o padre Pedro recusou uma oferta de férias na Europa. No entanto, aceitou vigilância, de perto, do Bope do Distrito Federal – sem escolta.

Na última sexta-feira (26), a Delegacia de Repressão ao Crime Organizado do Rio de Janeiro deflagrou operação contra a milícia na Zona Oeste do Rio de Janeiro. De acordo com a Polícia, o grupo criminoso está expulsando moradores de apartamentos do ‘Minha Casa, Minha Vida’, do Governo Federal. Na ação, os policiais aprenderam munições, granadas e armas.

“Prefiro morrer com a verdade do que viver com a mentira”, afirmou o padre Pedro Stepien.

Padre

Foto: Marcelo Carlos – Padre Pedro esteve na Câmara Municipal de Valparaíso em 2015.

Segundo o Blog Coluna Esplanada, do UOL, a operação policial em defesa do sacerdote foi comandada pelo delegado Alexandre Herdy, que investiga a ‘Liga da Justiça’ com informações passadas pelo polonês ameaçado de morte. O líder católico acolhe pelo menos 15 pessoas de sete famílias refugiadas do Rio, expulsas dos apartamentos. 

Por Marcelo Carlos

ame--a-de-morte