Na última quinta-feira (26), o governador Marconi Perillo realizou o Papo com o Governador. Na oportunidade ele recebeu o pós-doutor em economia Ricardo Paes de Barros, um dos formuladores dos programas de combate à pobreza no governo FHC, para falar de um assunto polêmico que vem preocupando os servidores públicos dos colégios estaduais de Valparaíso e região: as OS’s na Educação.

Durante a conversa Marconi Perillo disse que a implantação das Organizações Sociais (OS’s) na Educação promoverão igualdade social no que se refere ao acesso ao ensino de qualidade.

“O aluno de baixa renda precisa ter acesso a um ensino de altíssima qualidade, em uma boa estrutura, sem pagar nada. Precisa estudar em uma escola de rico sem pagar nada. É um dos principais objetivos que almejamos com as OS’s”, afirmou.

Em relação à categoria de servidores que trabalham na Educação de Goiás, o governador ressaltou que o governo estadual busca a mesma excelência e modernização que foram alcançadas com a implantação do modelo de OS’s na saúde.

“Queremos sair desse padrão de decoreba, de comodismo, ir à luta. Muitas pessoas temem essa questão das OS’s, mas é preciso compreender que elas vão fazer com que a educação se modernize, avance, melhore e ajude a promover igualdade social”, disse.

Marconi

Em relação aos professores da rede estadual de ensino, Marconi também informou que eles continuaram com seus cargos, mas que deverão passar por uma direção de orientação. Os efetivos também serão fiscalizados pelos órgãos estaduais e Ministério Público.

“Sugiro que cada professor, diretor administrativo da educação procure se interagir com um médico, enfermeiro que trabalha em um dos 17 hospitais do Estado. A melhor resposta será dada por pessoas que trabalham em uma condição antes e hoje, depois das OSs”.

Questionado sobre os resultados alcançados pelos Colégios Militares, o governador destacou que é o tipo de escola que mais recebe demandas para abertura de vagas.

“Temos apenas 26 escolas militares num universo de 1.100 escolas estaduais. Claro que uma escola que tem disciplina, que considera fortemente valores e princípios, tem diferenciais que outras não têm. E por conta disso mesmo acabaram atingindo notas melhores no Ideb, Pisa”. 

Por Marcelo Carlos (Com as informações do Diário de Goiás)