A Polícia Federal deflagrou, na manhã desta quinta-feira (10), uma operação com o objetivo de combater diversos crimes cibernéticos no Distrito Federal e em Goiás. Os agentes cumprem oito mandados de busca e apreensão em residências de pessoas investigadas  por  fraudes bancárias, disseminação e armazenamento de pornografia infantil e invasão de sistema de votação. Todos os delitos foram praticados por meio da rede mundial de computadores.

As buscas estão sendo feitas no DF (Taguatinga, Águas Claras e Lago Norte), e nas cidades goianas de Valparaíso, Luziânia, Rialma e em Goiânia, com a finalidade de apreender provas. A PF também fará arresto de bens, autorizados judicialmente,visando à descapitalização e recuperação do dinheiro furtado de contas bancárias.

Uma quadrilha especializada em fraudes bancárias é um dos alvos da operação. Segundo nota divulgada pela PF, os integrantes do grupo falsificavam documentos junto a instituições bancárias e conseguiam a liberação de senha de internet para invadir contas de clientes do banco. O grupo fazia transferências para contas de laranjas em diferentes localidades, onde o dinheiro era sacado.

A PF também investiga uma suposta fraude nas eleições do Conselho Federal de Psicologia (CFP) de 2013.

Além dos crimes cibernéticos, a PF também cumpre um mandado de busca e apreensão de um homem que se passava por policial federal na região de Valparaíso. A pena prevista para o crime de uso indevido de símbolos da Administração Pública é de dois a seis anos de reclusão. 

A PF ainda não divulgou um balanço do que foi apreendido até o momento. A pereção UFRAP recebeu como nome um acrônimo das iniciais dos crimes investigados: uso indevido de símbolo da PF, fraude bancária e pornografia infantil. 

Postado por Marcelo Carlos (com as informações de O Popular)