Compartilhe esta matéria!

O mundo é para aqueles que sonham

Jovem de apenas 18 anos Osaka como é conhecido já tem dois singles e pretende manter seu foco para lançar mais projetos

Osaka como Gabriel é conhecido, esbanja personalidade e criatividade Fotos: Hartur borges da Silva

Gabriel Vieira de apenas 18 anos, lançou mais um single para a sua trajetória, conhecido na cena musical como Osaka – Monte grande –, o artista conta que suas letras são feitas a partir de suas vivências e experiências “a faixa “propício” foi minha primeira experiência com tudo e é, um dos meus projetos favoritos. Eu acho que dentro do mundo musical eu tenho algo a oferecer, por isso comecei a cantar e investir nesse sonho. Eu canto por sentimento, por mais que eu fale muita besteira em algumas letras, todas elas se conectam e tem um significado para mim, uma história”. 

Recentemente lançou mais um single, “Pinote”, e o artista morador do entorno do Distrito Federal afirma ser uma analogia a suas bagagens no bairro onde vive, “soltei uma faixa chamadaPinote” . Eu e meus amigos chamamos assim “dar fuga de pinote, tipo, vou dar um pinote hoje com meus amigos”, ela é minha segunda faixa disponível nas plataformas, depois de propício. Eu fiz a letra basicamente em cima de uma situação que passei com meus companheiros, andávamos de skate todos os dias no ginásio da nossa cidade e toda semana levávamos enquadro, e cada um desses dias teve uma “cena” diferente que grudou na minha cabeça que veio na hora de compor a música, como disse canto o que vivo e falo merda (risos). O beat que no caso são as batidas, foram feitos pelo Chris Veroneze que é um excelente beatmaker, eu fiz a música no estúdio do Skull, que é o proprietário da D13, a produtora a qual eu participo. Ela está disponível no YouTube, Spotify, Deezer, Apple Music, Itunes store, Tidal, Pandora e Napster.”

Siga esse sonho

Para que sobrevivamos precisamos pensar, desejar e sonhar. E é isso que Osaka faz, não consegue se esquecer de um de seus professores Ricardo que o apresentou ao mundo da arte, e desde então sabia que ali estava a sua função, “em outubro de 2020, eu já curtia muito o cenário da música, sempre escutei e gostava de mandar umas letras sozinho e em outubro eu conheci o Bryan (Soulkyr), que é nada menos quem incentivou esse meu sonho de cantar, ele me chamou pra fazer um som com ele, fizemos e trabalhamos ele durante muito tempo, e desde então corro atrás do que é meu para trazer o diferencial”. Apesar das dificuldades Gabriel não pretende desistir, “Não ter um estúdio é uma das maiores dificuldades, fazer música exige um foco enorme de escutar a batida várias e várias vezes, para que a gente consiga imaginar a junção de tudo antes de botar algo no papel. O estúdio é onde damos vida às músicas.  E pretendo fazer um estúdio até porque eu mesmo quero fazer todas as minhas músicas, desde compor, cantar e montar, sempre desenvolvendo o meu eu”.  

Osaka conta que as redes sociais vieram para agregar todo o trabalho do artista, além do apoio que tem de sua família e amigos, todos conseguem o ajudar divulgando seu trabalho na internet, e tem certeza de que sem esta força não seria nada e não conseguiria manter seus projetos em andamento. “Meus objetivos precisam da força dos meus aliados, conforme a vida passa e precisamos do apoio dos nossos, entendemos quem quer nos ver lá em cima, é algo contagiante, alguém vir e me cobrar por algo, por estar me esperando fazer algo. É surreal” 

Afirma ter um turbilhão de ideias que sua mente não para de pensar, mas pretende fazer tudo com calma, separar o joio do trigo, trabalhar cada projeto de uma forma para que não sejam cópias de outros projetos. “Me inspiro muito no Froid e Sidoka, duas referências fortíssimas para mim, tanto de vivência quanto na música, são dois caras geniais demais. Eu sou uma pessoa eclética, como eu disse eu amo ouvir música, eu passo o dia escutando diversos artistas, sendo eles nacionais e internacionais. Eu não gostava de trap, era algo que eu ainda não conhecia e me negava a conhecer, mas um dia na casa de uns amigos eles me apresentaram a Recayd Mob e eu fiquei impressionado da forma que eles faziam música, e senti que despertou algo em mim”. Osaka pretende aprender mais, e a cantar nos estilos que gosta. Além de transformar pessoas e mostrar que todos podemos ser quem quisermos, e sonhar pelo que queremos, apesar de difícil e dolorida a caminhada temos a capacidade de ter o que queremos. 

Redes:

Instagram @osakaa_
https://www.youtube.com/c/Ōsakagabiru – Youtube

Alô Valparaíso/* Com informações