Na manhã de uma terça-feira, dia 01/01/2013, Professora Lucimar (PT), prefeita eleita nas eleições municipais do ano anterior, começou o seu governo, em Valparaíso de Goiás, espalhando placas publicitárias e partidárias pela cidade com os seguintes dizeres: “Hoje começa a mudança” e “Valparaíso, um lugar de todos e todas!”. 

Passaram-se mais de três anos.  Os problemas da cidade aumentaram e apenas os interesses de pequenos grupos políticos foram atendidos.  Enquanto a população, de maneira geral, ficou a mercê de problemas antigos e foi novamente esquecida por seus governantes. Algo que não deveria ser natural, mas que sempre aconteceu no município já administrado por outras agremiações partidárias.

Lucimar Nascimento parece estar de pés e mãos atadas, pois nada, até o momento, mudou, ao ponto de conseguir grande rejeição por considerável parte da população. A promessa de um governo para todos e todas, nunca virou uma realidade na cidade. E tem indignado aqueles que acreditaram no sonho de uma Valparaíso melhor.

A situação da Prefeita é complicada e tende a piorar. Seu último ano de mandato será “arrochado”, pois falta dinheiro e sobram dívidas para a Gestão Municipal. Os serviços básicos de qualidade do primeiro semestre de 2013, já não são mais levados aos cidadãos. Nem todos os setores do governo petista funcionam bem.

Mudanças na administração do Partido dos Trabalhadores aconteceram apenas quando falamos em cargos. A dança das cadeiras nas Secretarias Municipais marcou o desgoverno. Durantes três anos, secretários e secretárias alternaram-se em importantes pastas.  Também foram mudadas as cores dos prédios públicos municipais e nada mais.  A certeza que fica, é que realmente, o coração de Lucimar é vermelho. Como dizia a letra de sua música de campanha em 2012.

Hoje, Lucimar Nascimento é uma prefeita perdida e sem alternativas para recuperar toda a popularidade que fez dela a gestora-mor da cidade. Alguns dizem que falta carisma e orientação, outros afirmam que Lucimar é politicamente limitada para criar alternativas e trazer novos recursos para Valparaíso.

Contudo, o que as pessoas sabem é que nada foi renovado. A mudança prometida ficou apenas registrada nas placas espalhadas por Valparaíso de Goiás, em 1º de janeiro de 2013. Já se foram três anos e todas as esperanças do povo numa revolução administrativa chegaram ao fim.

Com o passar do tempo a descrença com a política municipal aumentou e as opções apresentadas em 2016 não agradam aos valparaisenses. Para conquistar o eleitorado os diversos pré-candidatos terão que rebolar e mostrar que não são mais do mesmo. O futuro de Valparaíso será de continuísmo ou de renovação? Eis a questão! 

Por Marcelo Carlos

Fotos do Valtv – Professor Adelcio