Neste domingo, dia 1º de maio, celebramos o Dia do Trabalhador ou Dia do Trabalho. A data é considerada em vários países como um feriado nacional, porém, em Valparaíso de Goiás os servidores públicos municipais garantem que não há nada no momento para ser comemorado.

Hoje vários trabalhadores do município aproveitaram a data reservada à luta trabalhista para tecer duríssimas críticas à gestão petista de Lucimar Nascimento, prefeita eleita no ano de 2012 e que não vem agradando o proletariado e principalmente o eleitorado da cidade.

A principal revindicação dos servidores públicos do município está relacionada ao rejuste anual salarial, garantido pela Lei Nº 819 que foi assinada em outubro de 2009 pela ex-prefeita Lêda Borges (PSDB). Contudo, a chefe atual do Executivo Municipal já informou que em 2016 não dará o reajuste referente à Data Base.

Lucimar justifica sua decisão baseando-se na crise econômica nacional que prejudicou muitas Prefeituras e na falta de recursos dos cofres públicos de Valparaíso. Entretanto, a resposta da prefeita não tem agradado aos trabalhadores e consequentemente vem diminuindo a popularidade do desgastado Governo.

A categoria também acusa o Sindsepem-Val de omissão e de não estar fazendo forças para que o reajuste salarial seja garantido aos trabalhadores. O sindicato responsável por representar os servidores da cidade, presidido pela senhora Olizia Alves, não agrada a classe trabalhadora e atualmente é conhecido dentro do serviço público como linha auxiliar do Governo do Partido dos Trabalhadores.

Leia algumas opiniões de servidores públicos municipais de Valparaíso:

“Parabéns por quê? Pra quem? Valorização de quem? Comemorar o que? Deu o mel e depois o fel. Foi assim com a classe trabalhadora de Valparaíso, foi assim que fomos valorizados e presenteados pelo governo atual”, disse a servidora Ana Paula Vieira em sua página no Facebook.

“Hoje é 1° de maio, Dia do Trabalhador e o servidor público municipal de Valparaíso de Goiás, não tem o que comemorar! Sem Data Base fica difícil”, afirmou o servidor Adryanno do Vale.

“Este é um governo que enxerga  o servidor como escravo, sem respeito as nossas leis. Com punições  severas aos que deles discordam, somos impotentes diante dos que se intitulam do Partido dos Trabalhadores. O sindicato dos servidores da Prefeitura Municipal de Valparaíso de Goiás  é  omisso e inexistente, pago pelos servidores, mas trabalha para a prefeita”, relatou a servidora aposenta Aida Barbosa Ribeiro.

“Infelizmente, nós trabalhadores e trabalhadoras valparaisenses, não temos motivos para comemorar este 1° de maio, dia dedicado ao trabalho. A valorização pela dedicação exclusiva não veio este ano na nossa Data Base, Lei esta que nos garante o aumento salarial. A prefeita não respeita, não valoriza e muito menos cumpre com o seu papel de gestora pública, onde a mesma sendo efetiva do quadro de profissionais se quer teve a decência de pagar o nosso reajuste de 11,28”, comentou a servidora Adriany Brandão.

“Certamente, é o 1º de maio mais triste dos últimos anos, considerando as perdas iminentes de direitos históricos que assombram os trabalhadores, arquitetadas por um governo sem planejamento”, falou a servidora Rudilene Farias.

Lucimar Nascimento comenta o Dia do Trabalho no Facebook

“Neste domingo, 1° de maio, Dia do (a) Trabalhador (a), quero deixar o meu abraço aos diversos profissionais que atuam em nosso município. São trabalhadores e trabalhadoras que dedicam suas vidas ao bem comum, prestando seus serviços com qualidade e dignidade. Neste dia é importante lembrar a luta dos Sindicatos, partidos e movimentos que historicamente buscam garantir que as leis trabalhistas sejam aplicadas e respeitadas. Também devemos alertar que com a atual conjuntura política brasileira, esses mesmos direitos adquiridos sofrem sérios riscos. Temos que estar vigilantes para que não retrocedamos a um período de injustiças e ilegalidades contra a classe trabalhadora”, declarou a prefeita Lucimar Conceição do Nascimento.

Por Marcelo Carlos