Compartilhe esta matéria!

No DF, 49 detentos não voltam para presídio após ‘saidão’; a maior fuga em seis anos

Benefício foi concedido na sexta-feira (19), e detentos deveriam retornar nesta terça (23), o que não ocorreu. Quem descumpre regras perde direito à saída temporária

Presos em "saidão" no Distrito Federal, em imagem de arquivo — Foto: Seape/Divulgação
Presos em “saidão” no Distrito Federal, em imagem de arquivo — Foto: Seape/Divulgação

O último “saidão” de presos do sistema penitenciário do Distrito Federal terminou com 49 detentos foragidos, a maior fuga dos últimos seis anos. O benefício foi concedido na última sexta-feira (19) a 1.979 detentos, que deveriam ter voltado ao presídio na terça-feira (23).

Até esta quinta-feira (25), seis detentos haviam sido encontrados, restando 43 foragidos. Em média, o percentual de fuga não passa de 1% do total de presos liberados. Entretanto, nesse último “saidão,” a taxa subiu e ficou em 2,4%.

Em nota, a Secretaria de Estado de Administração Penitenciária do Distrito Federal (Seape) informou que a saída temporária de presos é prevista por uma portaria da Vara de Execuções Penais (VEP) e que contempla detentos que cumprem pena no regime semiaberto. Além disso, os beneficiários precisam ter autorização de trabalho externo ou de saídas temporárias.

“Aquele que não retornar no dia e no horário previstos será considerado foragido e poderá perder o direito ao regime semiaberto”, afirmou a pasta.

"Saidão" de presos no DF, em imagem de arquivo — Foto: TV Globo-/Reprodução
“Saidão” de presos no DF, em imagem de arquivo — Foto: TV Globo-/Reprodução

Ao todo, em 2021, a VEP estabeleceu oito saídas temporárias, totalizando 35 dias. A próxima e última do ano ocorre no feriado de Natal, entre 24 e 28 de dezembro.

Quem tiver informações sobre os foragidos, pode entrar em contato com as forças de segurança da capital para denunciar (veja canais abaixo). Não é necessário se identificar.

  • Polícia Penal: (61) 99451-9650
  • Polícia Civil: (61) 98626-1197 ou 197
  • Polícia Militar: 190
Complexo Penitenciário da Papuda, no DF — Foto: TV Globo/Reprodução
Complexo Penitenciário da Papuda, no DF — Foto: TV Globo/Reprodução

Saidões suspensos

As saídas temporárias de detentos no Distrito Federal chegaram a ser suspensas entre fevereiro e maio deste ano, devido à pandemia de Covid-19. Em 2020, também em decorrência da doença, os “saidões” deixaram de ocorrer entre março e setembro.

O levantamento mais recente da Secretaria de Saúde, divulgado nesta quarta-feira (24), mostra que, desde o início da pandemia, 2.222 detentos testaram positivo para a Covid-19 e, segundo a pasta, 2.215 estão recuperados – 99,7% do total de diagnosticados nos presídios. Sete internos morreram em decorrência da doença, no Distrito Federal.

Na capital, o novo coronavírus vitimou 11.013 pessoas e infectou 517.448, segundo dados da pasta.

Em outubro do ano passado, o Complexo Penitenciário da Papuda, em Brasília, registrou a maior fuga dos últimos 20 anos, segundo o Sindicato dos Policiais Penais (Sindpen). Ao todo, 17 presos escaparam do Centro de Detenção Provisória (CDP).

O caso ocorreu por volta das 2h, quando os internos fugiram pelo teto do CDP. Após o caso, policiais militares e penais foram às ruas para capturar os detentos.

Alô Valparaíso/Com as informações Agência Brasil