Compartilhe esta matéria!

Mulher grita e xinga atendentes de lanchonete no DF; ‘Me senti muito humilhada’

Desse total, 43 serão destinadas a servidores e empregados públicos; para a sociedade civil, são 57

Funcionários de uma lanchonete McDonald’s na quadra 507 Norte, em Brasília, foram agredidos verbalmente por uma cliente na noite da última terça-feira (11). Um motorista filmou o momento em que a mulher gritou: “Lixo. Podre o seu atendimento. Bosta o seu atendimento”.

Uma atendente, de 21 anos, que prefere não se identificar, contou ao g1 que a mulher arrancou o carro e ainda xingou o gerente de “analfabeto” e “cavalo”. A agressão teria ocorrido porque eles não sabiam a composição do molho de um sanduíche.

“É o meu primeiro emprego formal. Me senti muito humilhada e chorei bastante. Estava dando o meu melhor, passei o dia todo em pé para chegar a noite e ela fazer isso. Quero justiça. A gente merece respeito e ela não tem direito de fazer o que fez com ninguém”, destaca a funcionária.

Nesta quinta-feira (13), a trabalhadora registrou um boletim de ocorrência na 5ª Delegacia de Polícia, na Asa Norte. Por nota, o Mc Donalds informou que “a companhia tem o compromisso de promover um ambiente de respeito e é contrária a qualquer tipo de violência em seus restaurantes”.

“A franqueada Hadco, proprietária do estabelecimento em que houve o incidente, está apurando o ocorrido e adotará eventuais medidas cabíveis”, informou a empresa.

Mulher grita e xinga atendentes de lanchonete no DF — Foto: Arquivo pessoal
Mulher grita e xinga atendentes de lanchonete no DF — Foto: Arquivo pessoal

Identificação

As agressões verbais ocorreram por volta das 23h. “Essa cliente perguntou qual era a composição do molho do sanduíche e eu falei: ‘Senhora, isso eu não vou saber te responder. Aí ela se irritou com isso'”, diz.

A expectativa da atendente é que a Polícia Civil consiga identificar a autora dos xingamentos e ela responda pelas agressões. O advogado da trabalhadora, Luiz Antonio Calháo, aguarda as diligências policiais que devem ser feitas pela 2ª DP (Asa Norte), área da ocorrência.

“A gente registrou boletim de ocorrência para que sejam feitas as diligências para identificar quem proferiu as ofensas e ajuizar as ações cabíveis assim que soubermos a identidade dela”, explica.

Alô Valparaíso/Com as informações Agência Brasil