O Ministério Público de Goiás está pedindo na Justiça a interdição imediata e temporária do 14º Núcleo Regional de Polícia Técnico-Científica de Luziânia (IML de Luziânia). Como consequência, é requerido que as atividades da unidade cessem, com o impedimento de forma absoluta de sua utilização por qualquer pessoa interessada. 

Esta medida é pedida enquanto perdurarem os riscos constatados nas várias inspeções técnicas realizadas no local. A reativação das atividades somente deverá ser autorizada após realização de obras de conservação do local, visando ao seu uso regular com segurança para os funcionários e para a população local, obtendo-se as autorizações de todos os órgãos administrativos pertinentes, de forma prévia.

Entre as diversas providências de regularização pedidas estão a criação de rede de esgoto, assim como a execução do Plano de Gerenciamento dos Resíduos de Serviço de Saúde e a apresentação de licença ambiental e alvará sanitário. 

A ação é assinada pelos promotores de Justiça Julimar Alexandro da Silva, Jean Cléber Cassiano Zamperlini, Jefferson Xavier de Souza Rocha, Fernando Centeno Dutra e Janaína Costa Vecchia de Castro.

Entenda
Há mais de um ano o MP-GO busca intervir para a melhoria da infraestrutura do Instituto Médico-Legal (IML) de Luziânia. Em janeiro de 2016 um inquérito civil público foi instaurado para apurar irregularidades que envolvem a unidade.  

Via MPGO