Moradores de Valparaíso se queixam da falta de gás de cozinha

Procura pelo produto cresceu durante a pandemia do coronavírus

Os moradores do município de Valparaíso de Goiás, no Entorno do Distrito Federal, estão se queixando da falta de gás de cozinha nas distribuidoras da cidade. O problema ficou visível em meio à pandemia do novo coronavírus (Covid-19).

A principal justificativa dos revendedores é o aumento dos pedidos, já que os clientes estão em isolamento social e tendem a comprar mais temendo a escassez do produto. Muita gente tem reforçado seus estoques em casa.

O contratempo também tem sido registrado no Distrito Federal. Segundo o presidente do Sindicato Nacional das Empresas Distribuidoras de Gás Liquefeito de Petróleo (Sindigás), Sérgio Bandeira de Mello, houve um aumento “surpreendente e inesperado” na procura por botijões de gás, da ordem de 25% nos últimos 10 dias de março, comparado ao mesmo período do ano passado.

Em contato com a nossa Redação, uma moradora do Parque São Bernardo, reclamou da falta de gás de cozinha no município do Entorno Sul. “Já liguei em vários depósitos, eles faltaram que estão sem e não deram mais justificativas”, disse Irlania Oliveira.

Os preços considerados ‘abusivos’ não deixaram de ser contestados pelo consumidor valparaisense. Muitos leitores do Alô relataram ter pagado de R$ 65,00 a R$ 80,00 no botijão. “Eu paguei R$ 75,00 e encontrou no Céu Azul”, contou Joelma Rodrigues.

Da Redação do Alô Valparaíso
gás

Cresce a procura por botijões de gás em Valparaíso. (Foto: Marcello Casal/Agência Brasil)

Compartilhe esta matéria!