Quem circula diariamente pela passarela amarela, em Valparaíso de Goiás, presencia a precariedade de sua estrutura e nota também a ausência de um trabalho de manutenção na mesma.

Muitos transeuntes, que utilizam a passagem elevada sentem-se inseguros, ficam preocupados e temem sempre o pior. Eles afirmam estarem colocando suas vidas em risco ao caminhar pelo local.

“Eu confesso que sinto muito medo. Como você pode ver as ferragens precisam de uma reforma com urgência. Às vezes, parece que essas placas que estamos pisando estão soltas”, disse Gabriella Gonçalves, pedestre que passava pela passarela.

Para as pessoas que reclamam do problema, a passarela que liga dois bairros valparaisenses – Jardim Oriente a Etapa A – é o retrato do descaso do poder público, e principalmente, da empresa Via 040, responsável pela Rodovia que corta Valparaíso.

A concessionária ganhou o leilão de privatização da BR-040 e tornou-se encarregada pela recuperação, operação, manutenção, conservação e implantação de melhorias na Rodovia. Contudo, o abandono à passarela amarela indica que as responsabilidades não estão sendo cumpridas no trecho pela empresa.

A passarela mais antiga de Valparaíso encontra-se suja, enferrujada e com suas placas de aço tremulas. Em razão do grande perigo, os moradores do município goiano pedem uma ação imediata dos órgãos fiscalizadores. “Providências devem ser tomadas, o mais rápido possível. Antes que algo de pior aconteça. É melhor prevenir do que remediar”, alertou Lucas Barcelos, morador do Jardim Oriente.

Por Marcelo Carlos