Compartilhe esta matéria!

Ministério Público pede afastamento de prefeita interina de Luziânia

Professora Edna estaria utilizando a máquina pública para autopromoção

A política de Luziânia, no Entorno do Distrito Federal, vive momentos conturbados e continua na mira da Justiça do Estado. Ontem (30), o Ministério Público de Goiás propôs ação civil pública (ACP) por ato de improbidade administrativa contra a prefeita interina Professora Edna (DEM). O MP-GO pediu a concessão de liminar de tutela de urgência que determine seu afastamento do cargo.

Uma ação do promotor Julimar Alexandro da Silva, titular da 6ª Promotoria de Luziânia, aponta a prática, pela gestora do município goiano, de atos de improbidade na utilização da máquina pública para promoção pessoal e de seus correligionários, sobretudo em ano eleitoral – a informação é de que a gestora é pré-candidata à prefeitura nas eleições de novembro. 

Julimar Alexandro incluiu na ação uma determinação para que Edna remova imediatamente, “às suas expensas e sem utilização de recursos públicos, as fotografias, nomes, cores, símbolos ou imagens que configurem promoção pessoal da chefe do Executivo municipal ou de qualquer agente público, existentes em quaisquer obras públicas, bem como nas páginas oficiais eletrônicas e redes sociais pessoais ou da prefeitura de Luziânia, em especial o Instagram, devendo comprovar o cumprimento no prazo de 10 dias, com relatório circunstanciado contendo todas as imagens e textos excluídos, sob pena de multa pessoal e diária no valor de R$ 10 mil, sem prejuízo da execução direta, por terceiros, às suas expensas”.

A instituição que busca manter a ordem jurídica também solicitou o bloqueio de todos os bens móveis e imóveis da acionada, bem como a decretação da quebra de seus sigilos bancário e fiscal.

Da Redação do Alô Valparaíso/*Com as informações de Ana Cristina Arruda/Assessoria de Comunicação Social do MP-GO