Na lista de promessas de campanha do governador Marconi Perilo (PSDB) e da prefeita Lucimar Nascimento (PT) encontravam-se benefícios e melhorias para o transporte público.

Na lista de promessas de campanha do governador Marconi Perilo (PSDB) e da prefeita Lucimar Nascimento (PT) encontravam-se benefícios e melhorias para o transporte público.

Passaram-se os anos e os passageiros da região Metropolitana do DF seguem humilhados com serviços de empresas de péssima qualidade e com ônibus caindo aos pedaços.

Na última semana, a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), anunciou um aumento de 11,294% sobre a tarifa do transporte semiurbano interestadual e internacional de passageiros. A notícia revoltou os eleitores que acreditaram nas promessas de campanha dos seus representantes políticos em outrora.

Mais uma vez, compromissos do governador tucano e da prefeita petista não foram cumpridos com o povo. Agora, os cidadãos e cidadãs terão que pagar mais caro para chegar ao Distrito Federal.

Veja abaixo o que foi prometido:

No ano de 2012, Lucimar Nascimento jurou trabalhar para melhorar as condições das frotas de ônibus e chegou a afirmar que criaria novas linhas caso fosse eleita. Para conseguir estes feitos e o trem que ligaria Valparaíso a Brasília, a candidata que virou prefeita contaria com a ajuda da presidente Dilma. A ajuda de sua companheira nunca chegou. 

Em 2014, Marconi Perillo na busca pela reeleição, garantiu que iria fazer mais para o Entorno de Brasília. Naquele ano, o governador prometeu ônibus novos e passagem a um real para todas as cidades da região.  Hoje, a realidade é outra. Os goianos da região são obrigados a utilizar um transporte de má qualidade e pagam uma tarifa altíssima.

Como já é de costume, o tempo passou e nada daquilo que foi prometido em campanha beneficiou a nossa região. Os cidadãos de Valparaíso e do Entorno  continuam esquecidos no Estado de Goiás.

Diante de tanto descaso, o transporte público merece uma atenção especial. Milhões de trabalhadores da Terra do Nem que viajam em ônibus sucateados precisam ser lembrados com urgência pelos seus governantes, e que a lembrança não venha através de politicagem e também com falsas promessas.

Por Marcelo Carlos