Major da Polícia Militar de Goiás é suspeito de estuprar duas irmãs de 11 e 12 anos

Ele foi exonerado do cargo de comandante e segue preso

Um escândalo abalou a Polícia Militar do Estado de Goiás na última semana. Após tornar-se suspeito de seqüestrar e estuprar duas irmãs de 11 e 12 anos, o major Cristiano Silva de Macena, foi exonerado do cargo de comandante da Companhia de Policiamento Especializado (CPE) de Rio Verde. A informação foi divulgada pelo Comando Geral da PM.

Na última sexta-feira, dia 25 de outubro, o juiz plantonista Rodrigo de Melo Bruscolin, decidiu em audiência de custódia, manter a prisão do major preventivamente.

Segundo o advogado George Santos Pereira, que defende o major, serão estudadas possibilidades que podem ser tomadas após a conversão da prisão em flagrante para a preventiva. “Até o momento não conversei com ele a respeito dos fatos em si. Irei aguardar a conclusão do inquérito”, comentou.

A PM informou em nota que o Comando Geral determinou, imediatamente, a exoneração do major do cargo de chefia e nomeou para função de comandante do CPE de Rio Verde, o capitão Ronniery de Moraes. No comunicado, o Comando Geral “reiterou seu compromisso com os princípios éticos, morais e legais; além do que, medidas correicionais foram adotadas e o policial militar em comento encontra-se à disposição da justiça”.

De acordo com as investigações, a casa em que as vítimas estavam com a avó foi invadida por volta de 3h30. Os registros apontam que a avó foi amarrada no local e as meninas levadas em um carro, depois abandonadas perto de uma escola. Imagens de câmeras de monitoramento registraram a caminhonete, que seria do major da Polícia Militar Cristiano Macena, perto da casa das meninas que foram sequestradas e estupradas.

Da Redação do Alô Valparaíso/*Com as informações do G1 Goiás
major

Major da PM de Goiás, Cristiano Silva de Macena. (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)

Compartilhe esta matéria!