Compartilhe esta matéria!

Mãe que matou filho recém-nascido após parto em casa, no DF, será submetida a exame psiquiátrico

Mulher foi interrogada em hospital, nesta terça (12). Segundo delegado, ela disse que asfixiou criança no banheiro ‘com as próprias mãos’.

Fachada da 1ª Delegacia de Polícia, na Asa Sul, que investiga caso de infanticídio no DF  — Foto: TV Globo/Reprodução
Fachada da 1ª Delegacia de Polícia, na Asa Sul, que investiga caso de infanticídio no DF — Foto: TV Globo/Reprodução

A mãe que confessou ter matado o próprio filho, após o parto feito em casa, na Vila Telebrasília, no Distrito Federal, foi interrogada nesta terça-feira (12) no Hospital Materno-Infantil de Brasília (Hmib), onde está internada. Segundo o delegado Maurício Iacozzilli, da 1ª DP, responsável pela investigação, ela será submetida a um exame psiquiátrico no Instituto Médico Legal (IML) assim que tiver alta.

A mulher foi hospitalizada na segunda-feira (11), após a filha dela, de 21 anos, chamar o Corpo de Bombeiros porque a mãe estava sofrendo uma hemorragia. No hospital, ela contou aos médicos que havia dado à luz e, em seguida, tirado a vida do recém-nascido. Os médicos chamaram a polícia.

Nesta terça, como o quadro de saúde havia se estabilizado e a mulher estava consciente, os policiais decidiram ouvi-la. “Ela alegou que a criança nasceu com vida e que a asfixiou, com as próprias mãos, após dar à luz a ela no banheiro”, disse o delegado.

Maurício Iacozzilli contou ainda que a mulher, de 41 anos, informou que “não sabe dizer quem é o pai da criança”. Ela falou também que não queria o filho e que escondeu a gravidez de todos.

Jogou corpo no lixo

De acordo com o delegado Maurício Iacozzilli, da 1ª DP, após o nascimento da criança, a mãe arrancou o cordão umbilical com as mãos, matou o recém-nascido e jogou o corpo no lixo. A mulher não tinha antecedentes criminais.

Ela deve responder por infanticídio, crime que ocorre quando a mãe provoca a morte da criança logo após o parto ou durante o estado de puerpério. A pena vai de 2 a 6 anos. Já para o crime de homicídio, a pena é maior, vai de 6 a 20 anos.

Alo Valparaíso/g1