Compartilhe esta matéria!

Luziânia: bebê com hidrocefalia e lábio leporino é adotada após ser deixada pelos pais em abrigo

Nova mãe afirmou que sempre desejou uma grande família e foi elogiada por juíza que concedeu a guarda

Nesta quinta-feira (12), contamos a história de uma menina de 1 ano e três meses, portadora de hidrocefalia e lábio leporino, que foi adotada por uma empresária após ser deixada pelos pais biológicos em um abrigo do município de Luziânia, no Entorno do Distrito Federal.

A criança foi deixada no abrigo em junho deste ano após os pais biológicos afirmarem ao Conselho Tutelar que não tinham condições psicológicas e financeiras para cuidar dela. Após ser acolhida, a bebê foi colocada no Cadastro Nacional de Adoção.

O tempo entre a busca ativa por uma família até ela encontrar um novo lar foi de quatro meses. As deficiências físicas e mentais, que poderiam dificultar o processo para achar uma nova família, foram exatamente às características que despertaram na empresária Cristiane Allemany a vontade de chamar a menina de filha.

“A Milena Vitória é um sonho já de anos, lá de trás, até porque eu sou filha única. Então, para ter uma família grande, no Natal, sempre disse que queria três [biológicos] mais um [adotado]”, disse para a TV Anhanguera.

Agora, a menina se mudou para São Paulo, onde vai viver com a nova família. A assistente social Maria Aparecida Santos Araújo acompanhou todo processo de acolhimento e adaptação da Milena. “Eu percebi que já tinha uma afetividade”, contou.

A juíza Célia Regina Lara, da Vara da Infância e da Juventude, concedeu a guarda definitiva na terça-feira (10).

“A adoção é um ato de amor e de responsabilidade. Nesse caso, amor e responsabilidade extremos”, afirmou a magistrada.

Da Redação do Alô Valparaíso/*Com as informações do G1