A secretária Cidadã Leda Borges participa nesta quarta-feira (27), em Brasília, de reunião com o ministro do Trabalho Ronaldo Nogueira. Em pauta os temas: emissão de Carteira de Trabalho; qualificação do trabalhador e economia solidária. A reunião será realizada no Ministério do Trabalho, às 15 horas.

Carteira de Trabalho

A Secretaria Cidadã estará acertando com a direção do Ministério os últimos detalhes para estruturação da rede SINE Goiás para o novo sistema de emissão das carteiras de trabalho.

“Vamos discutir sobre a geração de empregos e continuar a parceria para tornar os postos de atendimento da Rede Sine em Goiás mais um canal de coleta de informações para emissão da carteira de trabalho, reforçando o bom trabalho que temos realizado nessa área” disse Lêda Borges.

Qualificação Profissional do Trabalhador

A Secretaria Cidadã apresentará proposta de retomada de parceria já firmada no passado para que o Ministério do Trabalho possa alocar recursos federais sob sua coordenação em algumas ações de qualificação profissional.

“Nós queremos ampliar os programas de qualificação profissional ao nosso trabalhador, pois acreditamos ser essa uma ferramenta importante para ajudarmos o trabalhador a superar essa fase difícil que o país atravessa na economia”, afirma a secretária.

FAT

O Fundo de Amparo ao Trabalhador vem financiando projetos de qualificação profissional e a manutenção de postos de atendimento ao trabalhador da Rede Sine em todo o território nacional.

“Além de apresentar novos projetos para captar recursos e oferecer melhores serviços aos trabalhadores goianos, queremos concretizar as negociações já adiantadas para os repasses de recursos do FAT para manutenção da Rede Sine em Goiás”, pontuou Lêda Borges.

Economia Solidária

Economia solidária é uma forma de atividade econômica de produção de bens e serviços, comercialização, finanças ou consumo baseado na cooperação. É também usualmente chamada de autogestão, pois nesse sistema os integrantes dos empreendimentos solidários se associam em grupos e as decisões são tomadas em conjunto. Comércio justo e solidário e a distribuição de renda equitativa entre os componentes são também valores cultivados em projetos de economia solidária, bem como a preservação do meio ambiente e respeito aos direitos humanos.

“Queremos treinar os trabalhadores de municípios mais distantes da capital por meio da Economia Solidária e ampliar com isso as possibilidades de geração de emprego e renda”, disse Lêda Borges.

Postado por Marcelo Carlos (com as informações da Semira)