A justiça mandou bloquear mais uma vez o aplicativo WhatsApp. O aplicativo não teria cumprido uma decisão judicial de quebra de sigilo de conversa de pessoas que estão sendo investigadas, suspeitas de cometer crimes.

A decisão é da juíza Daniela Barbosa, do Rio de Janeiro. Essa é a terceira vez que o aplicativo será bloqueado em todo o país, por não bloquear informações para investigação.

As operadoras de telefonia foram notificadas da decisão por volta das 11h30 e precisam suspender imediatamente a utilização do serviço.

A juíza ainda determinou uma multa de R$ 50 mil por dia até o cumprimento desta ordem judicial. A Daniela Barbosa afirma que o Facebook, empresa que detém o WhatsApp, foi notificado três vezes desta decisão para que fizesse interceptação de mensagens durante uma investigação que está sob sigilo, em andamento em Caxias, na Baixada Fluminense.

O Facebook se limitou a responder, segundo a juíza, numa resposta em inglês, dizendo que não arquiva e não copia mensagens compartilhadas entre os usuários. E pediu informações sobre esta investigação que está sob sigilo. O argumento principal da juíza é que este tipo de serviço que o Facebook não presta prejudica uma série de investigações que estão em andamento. Criminosos deixam de falar por telefone para utilizar o WhatsApp e a própria segurança da sociedade fica ameaçada já que o Facebook não consegue cumprir esta decisão. Segundo a juíza, o Facebook no Brasil tem que cumprir a decisões do país. E que se teve tecnologia suficiente para codificar todas as mensagens, também tem que ter tecnologia suficiente para conseguir passar essas informações necessárias às autoridades.

Postado por Marcelo Carlos (com as informações da Globo News)