Os moradores de Valparaíso de Goiás estão mudando seus hábitos, e isto vem acontecendo devido à grande onda de insegurança que amedronta e que tira o sono de todos os valparaisenses. O município possui cerca de 200 mil habitantes e fica localizado no Entorno de Brasília, região que é considerada uma das mais violentas do Brasil.

A população da cidade goiana tem sido obrigada a se adaptar ao medo e a buscar medidas preventivas de segurança. É o caso de Victoria de Paula, moradora do Jardim Céu Azul, que foi obrigada a mudar sua rotina no bairro. “Antigamente, eu saia com minha mãe pela manhã e só voltava à tardinha. Hoje em dia não arriscamos mais fazer isto. Inclusive, a qualquer hora do dia não portamos mais bolsas, pois isso chama a atenção dos assaltantes. Nos falta liberdade pela falta de segurança”, falou a jovem.

A banalização da violência causa terror em Valparaíso de Goiás. Na noite da última terça-feira (12), dois menores assaltaram uma pizzaria no bairro Esplanada III, roubaram bolsas, celulares e deixaram uma mulher gravemente ferida após um disparo com arma de fogo.  “Um deles atirou na minha amiga. Ela está bem. No entanto, por pouco não fica paraplégica e perde a fala”, confidenciou uma testemunha.

Valparaíso de Goiás vive dias difíceis.  Cidadãos contaram a nossa reportagem que evitam sair à noite, não sentam mais em frente de casa para conversar com os vizinhos e até proíbem os filhos de brincar nas ruas da cidade. Muitos munícipes também afirmaram ao Alô Valparaíso que não abrem mão de cercas elétricas, câmeras de segurança, muros altos, cachorros e correntes nos portões de suas residências. Os depoimentos mostram que as pessoas sentem-se prisioneiras dentro de suas próprias casas.

“A insegurança tirou toda a nossa liberdade. Saímos às ruas parecendo paranoicos. Olhando para todos os lados com medo de sermos assaltados. Quando avistamos ciclistas, motociclistas ou até mesmo um carro chegando perto, o coração começa a acelerar e as pernas ficam bambas por receio de ser um bandido”, disse Fernanda Nunes.

Para Sávio Vieira, morador do Parque Rio Branco, não existe mais lugar seguro em Valparaíso de Goiás. “Não há setor seguro, seja no trabalho, na escola, na residência, onde estivermos, somos sempre alvos fáceis para os marginais. Nossa Prefeitura não se importa, não há efetivo nem presença ostensiva do Estado, assim a criminalidade está imperando, infelizmente”, afirmou o consciente cidadão.

Outro ponto importante e que merece destaque está relacionado à média de furtos e roubos de veículos em Valparaíso. Os altos índices levam pânico aos motoristas da cidade e mostram com clareza as carências e falhas na área da segurança pública no Entorno do DF.  Os criminosos agem com frequência na região e utilizam normalmente os veículos tomados para realizar outros crimes, como assaltos, homicídios, tráfico, entre outros delitos.

Por Marcelo Carlos