Compartilhe esta matéria!

homem é preso suspeito de matar mulher e arrastar corpo no meio da rua, no DF

Feminicídio ocorreu em agosto, no Recanto das Emas. Luciana Regina de Faria tinha esquizofrenia e passou 10 dias desaparecida; corpo foi encontrado carbonizado.

Um homem foi preso suspeito de matar uma mulher e arrastar o corpo dela pela rua, no Recanto das Emas, no Distrito Federal. A vítima desapareceu em agosto, mas o crime, investigado como feminicídio, foi desvendado apenas nesta segunda-feira (18), com a prisão do suspeito.

Segundo informações da Polícia Civil, Luciana Regina de Faria, de 46 anos, desapareceu em 31 de agosto e teve o corpo carbonizado. Como ela tinha esquizofrenia, familiares contaram que a mulher costumava sair de casa e andar sozinha pela região.

Entretanto, depois de 10 dias, em 10 de setembro, um corpo queimado foi encontrado próximo ao Fórum do Recanto das Emas. Policiais fizeram exame de DNA e, a partir do material genético da mãe de Luciana, confirmaram a identidade da vítima.

Em seguida, os investigadores trabalharam na identificação do suspeito e conseguiram um vídeo de câmeras de segurança da região. Nas imagens, é possível ver o homem, de 36 anos, que não teve a identidade revelada pela polícia, arrastando um corpo enrolado em um cobertor, às 7h30.

Homem arrasta corpo de mulher no Recanto das Emas, no DF — Foto: Reprodução

A partir das imagens, os policiais conseguiram identificar o suspeito e pedir a prisão preventiva dele, que foi aceita pela Justiça. O homem foi detido nesta segunda-feira (18).

‘Cara frio’

O vídeo que mostra um corpo sendo arrastado pelo suspeito é de 10 de setembro, mesmo dia em que o corpo de Luciana foi encontrado. Como o homem não confessou o crime, os policiais ainda não sabem dizer o que houve com a mulher durante os dias em que ela permaneceu desaparecida.

O delegado à frente do caso, Pablo Aguiar, da 27ª Delegacia de Polícia, do Recanto das Emas, informou que suspeito e vítima não tinham ligação e que o homem apenas trabalhou em uma obra próxima à casa dela.

“Ainda não sabemos a razão dele ter matado Luciana. Só conseguiríamos saber com a confissão dele. Infelizmente, é um cara frio”, comentou.

O suspeito vai responder por feminicídio. Caso condenado, ele pode cumprir pena de 12 a 30 anos de prisão.

Alo Valparaíso/G1