O governador Marconi Perillo, acompanhado do vice-governador José Eliton e do prefeito Cristóvão Tormin, assistiu, na manhã de domingo, dia 4, à missa em louvor ao Divino Espírito Santo na Matriz de Luziânia. A tradicional missa ocorre um dia antes do encerramento dos festejos em louvor ao Divino Espírito Santo, iniciados em 26 de maio e previstos para se encerrar amanhã.

Há mais de 30 anos, o governador Marconi Perillo tem sido presença garantida nas missas de encerramento dos festejos ao Divino. “Faço questão de estar aqui todos os anos. Esta é uma missa tradicional do nosso calendário religioso. Agradeço a Deus por estar mais uma vez aqui em Luziânia. Eu sempre venho a esta festa para agradecer ao Espírito Santo pelas graças recebidas”, declarou Marconi.

“A história de Goiás foi alicerçada pela religiosidade. A festa é a memória viva do povo goiano. Sempre participei e continuarei a estar presente nesses momentos de fé e devoção ao Divino Espírito Santo”, salientou.

O prefeito Cristóvão Tormin (PSD), que assistiu à cerimônia também ao lado do ex-governador do Distrito Federal, Joaquim Roriz, agradeceu a presença do governador Marconi Perillo, “um amigo de Luziânia, homem de tantos serviços prestados e também de muita fé, devoto do Divino Espírito Santo”.

A festa em louvor ao Divino Espírito Santo surgiu em 1753. Ela sempre ocorre depois da semana santa e é a principal festa da cidade. Símbolo cultural e religioso de Luziânia, a festa está completando agora 264 anos. São 11 dias de comemorações, iniciada sempre 50 dias após a Páscoa, que envolve toda comunidade, entre fiéis, comerciantes e população no geral.

A tradição herdada dos europeus desde a colonização marca as festividades de Pentecostes. Luziânia foi um dos primeiros locais a realizar a festa que inclui novena, missas, leilões e folia de rua.

A celebração de encerramento deste ano foi dirigida pelo bispo de Luziânia, Dom Afonso Fioreze.