O Governo de Goiás, por meio da Secretaria de Desenvolvimento (SED), formaliza nesta sexta-feira, dia 4, às 14 horas, no Auditório Mauro Borges do Palácio Pedro Ludovico Teixeira, acordo com o governo federal para oferta de mais 3.413 vagas em cursos de qualificação profissional do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec).

No total, serão oferecidos 54 cursos, distribuídos em 43 municípios, que atenderão os setores produtivos diversificados no Estado de Goiás e os Arranjos Produtivos Locais, como os APLs de Confecção e Apicultura. As matrículas ainda podem ser realizadas até o dia 18 deste mês. O início das atividades também está previsto para a segunda quinzena de novembro.

No evento, o governo estadual e o Ministério de Indústria e Comércio Exterior (MDIC) assinarão acordo de cooperação técnica para formação e qualificação de mão de obra destinada ao setor produtivo em Goiás. A parceria entre a União e o Estado tem duração prevista de três anos para oferta de cursos do Pronatec Setor Produtivo. O objetivo é garantir a qualificação e a formação profissional necessárias para atender às demandas mais urgentes e estratégicas dos setores produtivos nas localidades onde os grandes investimentos estão concentrados.

No Brasil, apenas quatro Estados conseguiram abrir neste ano vagas do Pronatec Setor Produtivo, oferecidas pelo Ministério de Indústria e Comércio Exterior (MDIC). Além de Goiás, completam a lista os Estados do Pará, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. A parceria é o reconhecimento do trabalho de mais de uma década do Governo de Goiás vem desenvolvendo ações e projetos junto ao setor produtivo organizado em Arranjos Produtivos Locais – APLs.

De acordo com o secretário de Desenvolvimento, Luiz Maronezi, o acordo beneficia diretamente o setor produtivo goiano, uma vez que os cursos oferecidos obedecem à demanda local. “Diferentemente dos outros cursos do Pronatec, nesse acordo a formação e capacitação se dará mediante a necessidade prévia das empresas por mão de obra qualificada”, afirma Aline.

Segundo a superintendente de Desenvolvimento Tecnológico, Inovação e Fomento à Tecnologia da Informação, Aline Figlioli, uma equipe da SED trabalhou nos últimos meses na identificação das demandas junto aos Arranjos Produtivos Locais (APLs) e também com setores econômicos organizados. “Seja nos APLs ou numa grande empresa, se há a necessidade de um curso de formação ou qualificação, a SED identifica essa necessidade e oferta o curso”, diz.

De acordo com a chefe do Gabinete de Gestão, Capacitação e Formação Tecnológica, Soraia Paranhos, a Rede Itego ficou responsável por 65% do total de vagas disponibilizadas pelo Pronatec para todas as instituições do Estado, sejam elas públicas ou não.

Para o superintendente executivo de Ciência e Tecnologia da SED, Thiago Camargo, o ensino profissional e técnico oferecido pelos Institutos Tecnológicos do Estado de Goiás (Itegos) já é sucesso há muito tempo. “Somos responsáveis para que o investimento nessa área tenha um impacto lá na ponta. A SED dará todo o apoio necessário e, juntos, vamos mostrar que conseguimos aplicar os recursos com mais eficiência e criatividade”, afirmou Thiago.

Postado por Marcelo Carlos (com as informações do Goiás Agora)