O governador Marconi Perillo conclamou os prefeitos goianos para uma “guerra” contra o mosquito Aedes aegipty, transmissor da dengue, chicungunya e zika, no lançamento do movimento Goiás Contra o Aedes, na manhã desta terça-feira, dia 15, no auditório da Celg, no Jardim Goiás, em Goiânia. “Eu tive dengue, no início de 2012, fiquei dez dias sem sair de casa. É horrível. E pode matar”, alertou.

Marconi elogiou os prefeitos que conseguiram sucesso no combate ao mosquito e afirmou estar cumprindo com o dever de mobilizar todos, numa ação que é também nacional. Entre as ações está a assinatura do decreto que declara Emergência em Saúde Pública, assinada no dia 9 deste mês, um dia depois de Marconi participar de reunião com a presidente Dilma Rousseff e outros 17 governadores. Nesse dia, informou à presidente que iria assinar o decreto e chamar os outros prefeitos goianos para a luta. Desde então, garantiu, por exemplo, R$ 10 milhões para as ações emergenciais.

Parcerias
Em seu discurso, Marconi também conclamou os prefeitos a procurar o apoio da Iquego, empresa que vem realizando testes bem sucedidos com um kit contra a dengue desde janeiro deste ano. “Busquem parcerias com a Iquego”, disse Marconi aos prefeitos presentes. O governador aproveitou para comemorar o bom desempenho da empresa, que passa por reestruturação. “A partir de dezembro, a Iquego não precisará mais de recursos do Estado”, comemorou.

Ele destacou a importância dos decretos de emergência em Saúde Pública assinados por prefeitos de 12 cidades com mais de 100 mil habitantes. E garantiu que todos poderão contar com o apoio do Governo de Goiás, em especial nas áreas da Saúde, Segurança Pública e Educação. “A Educação é talvez a mais importante”, pontuou, em referência às medidas de combate ao mosquito que devem ser incutidas nas crianças em idade escolar.

Serial killer
Em alusão a uma simbologia usada pelo prefeito Maguito Vilela, em discurso anterior, Marconi reafirmou que seu governo está em alerta máximo. “Estamos em guerra contra esse “serial killer”; prendemos aquele serial killer (Tiago Henrique Gomes da Rocha, que confessou a morte de diversas mulheres em Goiânia), por que não vamos acabar com o Aedes?”, desafiou.

O movimento Goiás contra a dengue, além de formalizar a publicação do Decreto nº 8.500, de 9 de dezembro de 2015, marcou também a posse do Comitê Executivo Estadual de Combate ao Aedes Aegypti. O secretário da Saúde, Leonardo Vilela, abriu o evento, detalhando as ações previstas por meio da Força Tarefa. “Goiás assume a prevenção em toda sua força, para proteger os goianos de doenças letais, graves e algumas sem precedentes na medicina mundial”, definiu o secretário.

Ainda na solenidade, foi exibido o filme Por que Não comigo?, que apresentou o depoimento de uma família da Bahia com caso de microcefalia por zika vírus. O pai da criança deixa um recado para os goianos, de que é preciso fazer sua parte, combatendo o mosquito transmissor da doença em suas casas.

Decreto
Entre as medidas apresentadas por Leonardo Vilela estão aquelas previstas pelo decreto de Emergência em Saúde Pública, com dispensa de licitação para a aquisição pública de insumos e materiais e a contratação de serviços necessários ao atendimento da situação emergencial. Pelo decreto, fica autorizada também a contratação de pessoal por tempo determinado. E ainda ações e serviços públicos voltados à contenção da emergência serão articulados em conjunto pelo Comitê Executivo Estadual de Combate ao Aedes.

Postado por Marcelo Carlos (com as informações de Goiás Agora)