Compartilhe esta matéria!

Fique atento a doenças respiratórias nos pets

Doenças respiratórias afetam cães e gatos devido ao tempo seco associado a ambientes fechados e sem ventilação

As doenças respiratórias afetam cães e gatos principalmente no inverno, por causa do tempo seco associado a um ambiente fechado e sem ventilação, com sintomas parecidos aos dos humanos. Quem explica quais cuidados devem ser tomados é Kathia Almeida Soares, médica-veterinária e coordenadora técnica na MSD Saúde Animal.

Gripe nos animais de estimação
Os vírus são transmitidos quando um cachorro saudável tem contato com um cachorro infectado. Por exemplo, por meio da secreção nasal, ou quando o contato acontece por objetos e locais contaminados, como bebedouros, comedouros e brinquedos.

Os principais sintomas são espirros, secreção nasal, tosse, secreção ocular, apatia, febre e perda de peso. E esses sinais não devem ser subestimados. “Muitos deles podem evoluir para quadros mais graves, como uma pneumonia, ou podemos estar diante de agentes mais perigosos como o vírus da cinomose canina, que pode passar de alterações respiratórias para complicações neurológicas, podendo ocorrer inclusive o óbito” alerta Kathia.

Sabemos que é melhor prevenir do que remediar e, para isso, existem vacinas disponíveis no mercado que ajudam a proteger os cães e gatos contra muito desses agentes associados aos quadros respiratórios.

Além das doenças respiratórias comuns no inverno, não se pode deixar de lado outros cuidados que devem ser mantidos durante o ano inteiro, como a prevenção de pulgas e carrapatos em cães e gatos, e a prevenção do mosquito-palha, transmissor da leishmaniose visceral canina. Esses parasitas podem causar doenças graves aos pets, sendo que algumas delas podem inclusive afetar a família.

Alô Valparaíso/*Com informações Metrópoles