Na manhã desta quarta-feira (26), funcionários da Prefeitura Municipal de Valparaíso, promoveram a retirada de bancas da tradicional Feira do Céu Azul. Segundo alguns feirantes, a ação teria acontecido de forma arbitrária e truculenta.

A Secretaria de Desenvolvimento e Infraestrutura Urbana informa estar olhando pelos cidadãos do Município e garante que objetivo da iniciativa é por fim à exploração privada dos feirantes. Muitos moradores demonstraram estar assustados com as ações orientadas pelo Poder Público na presente área.

“Como é que fazem uma remoção sem aviso. Domingo que vem tem Feira. Como é que esse povo todo vai trabalhar? Se eles querem fazer melhorias, deveriam fazer uma reunião com a Associação. Cadê a Associação que deveria estar atuando? Se querem fazer melhorias deveriam fazer de pouco a pouco. Não chegar quebrando as coisas dos outros. Isso para mim é abuso de poder”, disse Samuel morador do Céu Azul.

Comerciantes que utilizam o espaço reclamam que o ato da administração municipal ocorreu sem aviso prévio e pegou muitas pessoas de surpresa. O fato gerou a revolta momentânea de uma dezena de pessoas, trabalhadores que exigiram uma explicação imediata da prefeita Lucimar Nascimento (PT) e também da secretária de Infraestrutura, Cynthia Borges. E a resposta tão esperada veio no período vespertino.

Cynthia Borges, afirma que as mudanças foram tratadas e informadas no dia 22 de julho de 2013. No entanto, os responsáveis por alugar barracas instaladas na Feira do Céu Azul, desde o encontro dificultavam de todas as formas a ação da Prefeitura Municipal. Os esforços foram insuficientes e não conseguiram frear a medida programada há dois anos.

“Numa reunião tratamos as mudanças que pensávamos fazer. Desde então, pessoas que alugavam as barracas travam uma grande batalha para evitar a retirada”, afirmou a secretária de Obras.

Foto: Nogueira – Feirantes reclamam de retirada provisória da Feira do Céu Azul e Prefeitura afirma ter colocado fim à exploração privada no local.

Fui informado, que um grupo lucrava mensalmente com o recebimento de aluguéis das barracas de madeira que eram utilizadas no trabalho pelos feirantes. O pagamento da taxa deixava muita gente com a pulga atrás da orelha. Trabalhadores afirmam que o dinheiro pago não era empregado em benfeitorias na Feira. Porém, com medo de retaliações quem precisava trabalhar escolhia o silêncio e seguia pagando para utilizar a estrutura no local.

É de conhecimento de todos, que a Feira do Céu Azul é uma das feiras mais importantes do Entorno de Brasília. Mas, infelizmente, o espaço funcionava com uma infraestrutura precária. Os aspectos de precariedade espantavam a clientela e em virtude disto, os feirantes acabavam tendo suas expectativas de lucros frustradas. A situação de descaso era antiga no local, haja vista que diversas reivindicações por melhorias estruturais foram feitas no passado. E até o presente momento nunca haviam sido ouvidas.

Ao que tudo indica, mudanças estão por vir. Ainda segundo Cynthia Borges, centenas de feirantes poderão dispor de suas barracas próprias e a população terá devolvido um importante espaço para atividades múltiplas. Já os trabalhadores que levantam cedo para ganhar o sustento de suas famílias torcem para que seja verdade. E eu que estou sempre atento, espero que os planos saiam do papel e que a população valparaisense seja beneficiada com um grande projeto nesta área. A Feira do Céu Azul merece ser tratada com muito carinho pela Prefeitura. Com o fim do pagamento de taxas de procedência duvidosa, os feirantes também aguardam ansiosos por uma grande revolução estrutural. Eles querem acreditar que a prefeita Lucimar Nascimento (PT), finalmente cumprirá com todas as suas promessas.

Por Marcelo Carlos