Na última semana, o governador Marconi Perillo ouviu do diretor-geral da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), Jorge Bastos, que o edital para formação da Parceria Público Privada do Trem Pequi depende apenas da autorização da presidente Dilma Rousseff. “O diretor-geral nos garantiu que em seis meses, se a presidente autorizar, será licitada a PPP”, disse Marconi.

Trata-se do projeto de construção da linha para o trem de passageiros entre Goiânia e Brasília, cujo Estudo de Viabilidade Técnica, Econômica e Ambiental (Evetea) já está pronto.

Marconi disse estar muito confiante no projeto do Expresso Pequi. “Estamos insistindo, vindo aqui permanentemente, para que o projeto ande, siga em frente. Se a gente não cobrar, as coisas não andam, e é o que a gente tem feito aqui, permanentemente, semanalmente”, enfatizou.

R$ 4,5 bilhões
Segundo o governador, com as mudanças feitas, o novo projeto vai eliminar trens de carga e ramais em cidades como Águas Lindas e Luziânia, o que reduzirá o valor do projeto de cerca de R$ 9 bilhões para pouco mais de R$ 4,5 bilhões. A PPP prevê investimentos dos governos federal, de Goiás e do Distrito Federal, além da iniciativa privada.

Postado por Marcelo Carlos (com as informações do Goiás Agora)