Na última quarta-feira (06), o Alô Valparaíso conheceu de perto o trabalho de um guerreiro do esporte municipal. Eu estou falando de Celso Pereira, mais conhecido como “Celso da Eletrônica Power”, fundador e presidente da Escolinha de Futebol Flaval. Uma instituição que ao longo dos anos já revelou diversos atletas para o futebol nacional e que faz um trabalho social que merece ser destacado.

O futebol cativa e leva alegria aos brasileiros. Em Valparaíso de Goiás, a sua importância e influência social para uma melhor formação da juventude valparaisense é inegável. Na Flaval, o amor à bola já salvou diversos jovens que optaram por praticar o esporte na Escolinha, abrindo portas para um futuro melhor e fechando outras que com certeza os levariam para os caminhos das drogas e da criminalidade.

Celso Pereira é um profissional altamente capacitado. O seu amor ao futebol o levou para a Itália, país tetracampeão mundial e que venera o esporte assim como o Brasil. Na Europa, ele teve a oportunidade de conhecer o trabalho do clube italiano Associazione Sportiva Roma e também de fazer um curso que aprimorou os seus conhecimentos na Escola Europeia de Futebol.

Mesmo sem apoio do Poder Público Municipal, Celso Pereira, o idealizador do projeto Flaval, não perde as esperanças, pois acredita que o futebol é uma ferramenta desportiva fundamental para a formação do comportamento social de crianças e adolescentes.

Em entrevista concedida ao Alô Valparaíso, o “Celso da Eletrônica Power”, falou da história da Escolinha de Futebol, dos seus anseios para o futuro e nos contou uma novidade. Em breve, a Flaval levará seus atletas para uma excursão no Estado de São Paulo, aonde representará o município de Valparaíso de Goiás.

DSCN0730

Foto: Marcelo Carlos – Celso Pereira, fundador e presidente da Escolinha de Futebol Flaval.

Confira abaixo a nossa entrevista com Celso Pereira, o criador da Escolinha de Futebol Flaval:

Alô Valparaíso: Quem é o Celso Pereira e há quanto tempo existe a Escolinha de Futebol Flaval?

Celso Pereira: Eu sou morador de Valparaíso há 28 anos, tenho um comércio que é a Eletrônica Power. Em relação à Flaval, agora em maio de 2016, ela completa 5 anos de CNPJ. Então, este trabalho já vai para 5 anos.

Alô Valparaíso: Quantas categorias existem na Escolinha do senhor e quem faz parte da comissão técnica?

Celso Pereira: Nossa Escolinha trabalha com garotos de 7 a 20 anos. Faz parte da diretoria e do trabalho de campo, o Fernando Resende, ex-jogador profissional, que é o meu diretor e treinador, e o Júnior que é o filho dele, treinador e ex-jogador profissional. Quero destacar também a ajuda do Wender Ribeiro. Ele é morador de Valparaíso, goleiro profissional e esteve jogando durante 6 anos no Goiás Esporte Clube, em Goiânia. Esteve também no exterior, passando por Itália, Alemanha e Áustria. Agora ele está colaborando e treinando os goleiros da Escolinha de Futebol Flaval.

Alô Valparaíso: Eu sou morador de Valparaíso e conheço o seu esforço e trabalho dentro do futebol regional. O senhor pode falar a respeito dos vários jogadores que já levou para clubes profissionais do Brasil?

Celso Pereira: Vamos começar pelo Wender Ribeiro, que hoje é o nosso treinador de goleiros. Na época, com 12 para 13 anos, ele defendeu a Sociedade Esportiva do Gama, no torneio Gazetinha, no Estado do Espírito Santo. Foi vice-campeão como goleiro, perdendo a final de 1×0 para o Fluminense. Uma semana depois, eu desci com o garoto para o Esporte Clube Goiás, e lá ele ficou até os 19 anos de idade. Atualmente, nós temos o Samuel, que é morador de Valparaíso, nascido em 1999, hoje na base da Sociedade Esportiva do Gama. Ele é um garoto de 16 anos que já está treinando com o elenco profissional. Mais um que merece destaque é o Ramon, nascido em 1998, que atualmente joga na Portuguesa Santista. Temos o Gabriel, neto do nosso treinador-diretor, que há 3 anos está em Londrina. Lembro-me do Leandro, que mora na Cidade Jardins, que é nascido em 2001, que também está há 4 meses em Londrina. O nosso trabalho revelou outro jogador para o Guarani de Campinas, que é o Jhonatan, morador do Céu Azul. Revelamos o Vinícius, morador do Parque São Bernardo, que ontem assinou contrato com o São Bernardo Futebol Clube. Vale a pena mencionar o nome do Rômulo, morador da Morada Nobre, que há um mês, eu levei para a base do Goiás. Nós contamos com estes atletas, que já estão na base dos clubes em nível de Brasil. Que já estão bem encaminhados.

Alô Valparaíso: Eu soube que a Flaval fará em breve uma excursão para o Estado de São Paulo. Quais são as expectativas do senhor para esta viagem?

Celso Pereira: As expectativas são muito boas. O único problema Marcelo, é a dificuldade de Valparaíso em não ter um campo gramado, não ter um campo sintético com as dimensões que iremos usar lá em São Paulo. Que são dimensões profissionais, então, o que ocorre é o seguinte. Nós conseguimos um parceiro na Santa Maria-DF. Consegui, fiz um ofício pedindo o administrador da cidade satélite para ceder o espaço aqui para que a gente fizesse um trabalho. Eu não posso viajar com essa turma treinando em campo de terra, em dimensões pequenas e sem os recursos necessários. Então, por isso você está vendo a nossa dificuldade. Deslocamos-nos de Valparaíso e ainda bem que o administrador de Santa Maria nos cedeu o espaço para realizar este trabalho. Agora, te digo uma coisa. Eu quero que você veja o nosso coletivo, na sexta-feira nós temos um jogo marcado contra o Santa Maria. E eu falo para você, nós temos qualidade no meio desses garotos. A intenção em São Paulo é de fazer um belo campeonato, a partir do dia 14 de janeiro.

Alô Valparaíso: O senhor tem uma previsão de quantas pessoas irão para São Paulo na delegação da Flaval?

Celso Pereira: O total é a carga do ônibus, são 46 pessoas que é a lotação do veículo. Vamos levar duas equipes com 18 atletas cada equipe mais a comissão técnica. Levaremos também 3 cozinheiras e todo material necessário para a nossa estadia durante o campeonato.

Alô Valparaíso: Qual é a premiação da competição?

Celso Pereira: Dependemos da nossa classificação. Se conseguirmos ficar até a 2ª colocação a Flaval ganhará uma viagem para a Europa. Tudo de graça, tudo 0800;

Alô Valparaíso: Que está bancando tudo isto?

Celso Pereira: É uma boa pergunta. Quem está bancando são os pais, treinadores e eu como presidente da Flaval. Isso aí é feito no peito e na raça. É feito com coração.

Alô Valparaíso: Estou vendo que a estrutura de treinamento foi cedida pelo Distrito Federal, e a Flaval é uma escolinha oriunda de Valparaiso. O senhor está aberto à ajuda do nosso município?

Celso Pereira: Até hoje não tive ajuda. Já fiz dois contatos com o marido da Prefeita, falei pessoalmente. Inclusive, ele não gostou muito, ela não gostou. Porque eu cheguei 07:30 da manhã no apartamento deles, ali na Villa do Sol. Para atender a gente tem que ser assim. Eu falei, Berilo (esposo da Prefeita), só de governo da Lucimar estamos indo para 3 anos, agora é o último ano e até hoje nunca chegou um centavo por parte da Prefeitura para o projeto. Nós gostaríamos que vocês fizessem alguma coisa, para que a gente fizesse está viagem. Foi cobrado em São Paulo que levássemos a bandeira do município. Então, nós vamos envergar a bandeira do nosso município, vamos fazer um desfile lá na apresentação. Será que conseguiremos pelo menos levar a bandeira de Valparaíso? A pergunta está aí!

GALERIA DE FOTOS DA FLAVAL: