Na noite da última quinta-feira (07), em entrevista exclusiva concedida ao Alô Valparaíso, Francisco Carvalho, presidente do diretório municipal do Partido Progressista (PP) e ex-secretário municipal da Saúde, conversou com a nossa reportagem e afirmou que o grupo político liderado por sua esposa Lêda Borges de Moura, deputada estadual licenciada e titular da Secretaria Cidadã, tem um grande projeto e está compromissado a resgatar Valparaíso de Goiás das mãos do atual governo,  devolvendo-a ao caminho do desenvolvimento econômico e social para o seu povo.

12011387_453159374864037_3370804054043269453_n

Foto: Senador Wilder Morais (PP), Francisco Carvalho (PP) e o vice-governador José Eliton (PSDB).

O Alô Valparaíso perguntou e Francisco Carvalho respondeu. Confira abaixo o nosso bate-papo na íntegra:

O que podemos esperar do PP de Valparaíso nas próximas eleições municipais?

A sociedade valparaisense terá nos quadros de candidatos a vereadores do PP um time do bem, homens e mulheres de valor que irão pleitear assentos na Câmara Municipal, afim de melhorar a política local, trabalhando com seriedade na elaboração de boas leis e no cumprimento de tantas outras viáveis já existentes. Queremos contribuir com a gestão do próximo prefeito, trabalhando com afinco para recuperar o atraso a que fomos submetidos. Está sendo muito prejudicial. Queremos ainda por meio do senador Wilder Morais, presidente do Partido Progressista em Goiás, abrir portas em Brasília no sentido de apresentarmos bons projetos para construir boas obras na cidade. Minha experiência na Secretaria de Saúde me assegura que se trabalharmos com dedicação, em coletividade, cobrando para que cada um cumpra sua responsabilidade, podemos conquistar bons programas pra cidade. Lembro que ao assumir a pasta da saúde me reuni com os profissionais e determinei que buscássemos ampliar os programas da pasta e conseguir outros novos. Fiz um levantamento das unidades de saúde que ainda estavam no aluguel e escrevemos o município para receber novas postos do Governo Federal. À prova disso é que a atual prefeita recebeu da gestão passada várias unidades de saúde que foram entregues pela atual prefeita logo no início do mandato, todas construídas no governo da então prefeita Lêda Borges e que ficaram praticamente prontas, cobertas, inclusive, a exemplo da unidade do Pacaembu, do Esplanada I, do Céu Azul e das Chácaras Anhanguera B. Em relação as unidades que possuíam prédios próprios nós pleiteamos reformas, e cito, por exemplo, o Centro de Reabilitação da Cidade Jardins, a Unidade de Saúde da Etapa B, a do bairro Esplanada V e outras que até agora não conseguiram ser entregues à população. Sem falar que construímos outros com recursos próprios como a Unidade do bairro Araruama, do Jockey Clube, do Marajó. Tudo isso valoriza os profissionais que vão trabalhar em unidades adequadas, novas, próprias para o desempenho de suas funções.

Como o senhor avalia a pré-candidatura do tucano Pábio Mossoró à Prefeitura de Valparaíso?

O Pábio foi paciencioso, foi respeitoso com a líder maior da cidade, a deputada Lêda, e eu não tenho dúvidas de que se minha esposa quisesse ter voltado a ser candidata a prefeitura novamente ele estaria ao lado dela. Acho que ele está indo bem nesta pré-campanha de prefeito, mostrando a população seus projetos, seus anseios e suas propostas ao conversar com o morador de Valparaíso no dia a dia. Ele tem tido muito dinamismo e muito equilíbrio, respeitando a todos os demais pré-candidatos da cidade. Tenho visto ele com vontade de ser prefeito, mas sem desespero, sem querer o cargo a qualquer custo. O eleitor é observador, principalmente neste período tão difícil pra política e para os homens públicos. O Pábio acompanhou o governo da então prefeita Lêda Borges, nas suas lutas, no trabalho árduo e contínuo. Ele certamente saberá conduzir a cidade na retomada do progresso, para colocar o trem nos trilhos, o que a meu ver será o mais difícil. Contudo, ele contará com as emendas parlamentar da Lêda, do trabalho dela no Estado para abrir mais portas, pois mesmo ela estando licenciada para ocupar o cargo de Secretária de Estado, não perdeu essas emendas, para ajudar a cidade e o próximo prefeito a fazer uma boa gestão. Também terá o suporte do governador Marconi Perillo, com obras e convênios. Lembro que o governador liberou para a então prefeita Lêda Borges quase 6 milhões em recuperação asfáltica, onde foi recapeado os bairros Valparaíso I e Valparaíso II, rua por rua, mesmo debaixo das críticas infundadas da oposição que há época dizia ser asfalto Sonrisal. Até hoje, depois de anos, o asfalto está lá do mesmo jeito. Então, essas parcerias precisam continuar, pois os bairros Jardim Oriente e Esplanada I, por exemplo, estão com a malha asfáltica muito  ruim e tapar buraco não resolve mais, é preciso uma recuperação total desse modelo que aconteceu na gestão da Lêda, com o total apoio e o suporte do governo do estado. Está em curso à construção de um hospital de urgência em Valparaíso, uma luta da deputada Lêda, onde o Estado já desapropriou a área, na margem da BR 040, próximo ao Sucupira. Será uma grande obra pra cidade que precisará de pareceria com a Prefeitura para refazer a rede de saúde municipal, melhorando o atendimento a quem sofre à procura de uma consulta, de um socorro.

Sabemos que o pré-candidato a prefeito Pábio Mossoró receberá o apoio de grandes lideranças nas próximas eleições, entre elas encontra-se a deputada Lêda Borges, sua esposa e titular da Secretaria Cidadã. O senhor acredita que a força de Lêda decidirá o próximo pleito eleitoral?

Minha esposa Lêda tem um grande trabalho prestado à Valparaíso. E o povo sabe reconhecer quando o gestor é eficiente. Lêda é muito respeitada pela gestão que fez à frente da Prefeitura de Valparaíso. Ter o apoio dela é meio caminho andado. Isso é mérito de muito trabalho e dedicação à coisa pública. Quando ela pega pra fazer ela faz com todas as suas forças e capacidades. Foi assim quando assumiu a Secretaria de Educação de Valparaíso em 1997; foi com essa mesma garra que ela se desempenhou como vereadora de 2001 a 2004; o esforço foi o mesmo como prefeita, ela dormia tarde e acordava cedo, com um pique sem igual; quando ela foi presidente da AGDR não foi diferente. E agora como deputada e secretária de Estado, eu vejo que o trabalho foi dobrado, porque a pasta é grande e os compromissos são maiores, pois ela cumpre  duas funções. Então acho que ter uma liderança do porte da deputada Lêda como apoio é uma ajuda e tanto. O deputado Dr. Célio numa entrevista disse algo que justifica o que está acontecendo. Ele afirmou que a Lêda foi uma grande gestora pra cidade de Valparaíso e que a população se arrependeu de ter trocado-a na reeleição, em 2012. Mais compensou a elegendo deputada em 2014. E hoje ele está com saudade da gestão do PSDB que fez a cidade dar um salto em todos os setores: na saúde, na infraestrutura, na geração de emprego, na modernização da gestão e na eficiência dos serviços públicos. Então ela será ouvida pelo eleitor na hora certa. E o que não falta é argumento! Ainda acrescento um apoio que o Pábio terá do nado deputado federal Dr. Célio com emendas parlamentares. O deputado já colou R$ 2 milhões de emendas para a construção da UEG – Universidade Estadual de Goiás.

O senhor foi secretário municipal da Saúde no mandato da ex-prefeita Lêda. E segundo muitos moradores, a saúde entre os anos de 2009 e 2012 era diferenciada em Valparaíso. Na posição de ex-secretário, por gentileza, avalie o atual momento da saúde pública no município.

Não é bom um ex-gestor avaliar o trabalho do atual. A minha gestão à frente da Secretaria de Saúde foi de muito trabalho, não só meu, mas de toda a equipe que me deu a posição de um bom secretário da saúde na gestão da então prefeita Lêda. Eu lembro que sempre dizia aos auxiliares da pasta que a gente precisa fazer bem feito o que nos vem as nossas mãos, pois isso é o que nos resta de legado. Claro que me enche de alegria ao ouvir colocações como essa sua de que a saúde no período em que estive a frente era diferenciada, e isso eu divido com todos que me auxiliaram na gestão. Mais fica uma observação a quem se prepara para ser gestor ou auxiliar os gestores: com trabalho e seriedade com o dinheiro público a gestão aparece. O povo consegue dizer qual gestão ele foi atendido e acompanhado com dignidade, mesmo tendo falhas, e em qual gestão esse direito básico que é o atendimento à saúde foi negado. Ofertar bons serviços públicos de saúde não é tarefa fácil. Requer planejamento, acompanhamento, zelo, fiscalização e vontade de servir. É preciso se colocar no lugar do outro e com a dor do outro. O que fiz, sob a orientação e determinação da então prefeita Lêda, foi levar a humanização, a começar pelo profissional, para dentro das unidades, em cada atendimento. Nas reuniões que fazia eu dizia que precisávamos atender a todos como se fossem nós mesmos os pacientes ou algum familiar muito querido nosso. Foi uma luta constante, virou um mantra, a mesma conversa que era para cada um, inclusive eu, entender a humanização na saúde. Sem contar as visitas inesperadas de dia e de noite que eu fazia nas unidades básicas, no Cais e no Hospital do Céu Azul para checar o funcionamento principalmente nas  madrugadas. Tem uma máxima que diz que é o olho do dono que engorda o boi. Isso vale também para a gestão dos serviços públicos. Agora devo confessar que fiz isso baseado na história de gestão da minha esposa Lêda à frente da Secretária de Educação. Ela dizia que a gente faz bem feito e com toda garra o que nos foi dado para não ter que voltar e refazer, com isso deixamos a nossa marca como exemplo. E também a Bíblia nos ensina que tudo o que  formos fazer devemos fazer bem feito, com dedicação. Aproveitar as oportunidades é sempre bom. É positivo.

Por Marcelo Carlos