Hoje falaremos da história de superação de Claudinea Passos, a enfermeira humanista que foi renegada pelo Governo Municipal de Valparaíso após o seu esposo, Ronaldo Passos, fazer duras críticas a Secretaria de Saúde devido à escassez de medicamentos na cidade.

A competente trabalhadora manteve a sua fé e hoje dá a volta por cima, em Valparaíso de Goiás. Claudinea Passos atua como brigadista voluntária no grupo Anjos Anônimos, tem a sua própria empresa de cursos de saúde, e ainda trabalha, como socorrista e resgatista na Via 040.

O grupo Anjos Anônimos foi criado em 2015, e ganhou grande destaque no último ano, graças a sua grande atuação brigadista na região. O trabalho voluntário socorre diariamente vítimas de acidentes nas estradas, de violência, e as mais variadas situações de enfermidades e urgência.

Claudinea é dona de uma empresa em parceria com seu esposo, eles oferecem cursos de atendimento em casa, remoção, cuidador de idoso, atendimento pré-hospitalar, primeiros socorros, vacina, dança cigana e palestras.

A Enfermeira conta ao Alô Valparaíso que após várias portas serem fechadas, a sua única saída foi encontrar forças em Deus, na família e nos amigos. Ela garante que a sua volta por cima prova que quem perdeu com a sua saída foi apenas o Governo Municipal. Claudinea sofreu retaliações quando trabalhava no Posto de Saúde da Família, localizado no Parque Rio Branco.

“Dei a volta por cima e hoje sou funcionária da Via 040, e responsável pelo resgate dos Anjos Anônimos junto com meu esposo. Venho trabalhando com cursos e inovando para levar conhecimento a outras pessoas. Continuo fazendo o meu trabalho, salvando vidas e isso é o que mais importa”, disse Claudinea ao Alô Valparaíso.

A competente e humilde profissional da saúde, não esconde o seu lado solidário e faz questão de sempre ser prestativa com todos. Claudinea Passos conta que tentaram comprar sua dignidade de todas as formas, porém, não conseguiram. Ela afirma que optou por acreditar em dias melhores e seguiu o seu caminho longe da ingerência governamental.

“Quando se escolhe a profissão certa, você tem prazer em trabalhar. Em muitas vezes, o meu pagamento é um sorriso ou um brilho no olhar de quem ajudo. Um abraço apertado vale muito mais do que qualquer dinheiro do mundo”, disse a Enfermeira.

GALERIA DE FOTOS:

Por Marcelo Carlos