A Polícia Civil indiciou por abandono de incapaz os pais da menina de 3 anos que caiu do 4º andar de prédio, em Valparaíso de Goiás, no Entorno do Distrito Federal. O delegado responsável pelo caso, Pedro Trajano, afirmou, nesta quarta-feira (10), que a criança foi deixada sozinha no apartamento.

A queda aconteceu no último dia 26 de abril. Na época, o Corpo de Bombeiros informou que a menina caiu de uma altura de 12 metros e sofreu traumatismo craniano. Conforme Trajano, a criança ficou afastada das atividades do dia a dia por cerca de 30 dias por causa do acidente.

“Através de investigações e oitivas, a Polícia Civil concluiu que o casal deixou a criança sozinha no apartamento. Eles [pais] falaram que foi por questão de trabalho, que ele foi leva-la [mãe] no ponto de ônibus. Foi uma fatalidade, mas tem o artigo criminal que procede”, explicou ao G1.

O delegado informou ainda que o casal vai responder pelo crime em liberdade, já que não houve emprego de violência e nem grave ameaça. Se forem condenados, eles podem ficar presos por até cinco anos.

Queda
Ainda na época da queda, o delegado afirmou que ouviu testemunhas que relataram que a criança foi deixada sozinha em casa. “Eles disseram que a menina ficou sozinha por aproximadamente 30 minutos e que ficou chorando muito. Ainda de acordo com as pessoas ouvidas, essa não foi a primeira vez que isso aconteceu”, disse Trajano.

No dia que a criança se feriu, o vigilante Ivan Osterno do Nascimento foi o primeiro a socorrê-la e contou que a menina chorava muito antes da queda. “A gente acordou e tinha uma criança chorando e chamando pelo pai, pela mãe. Aí, uns 10 minutos depois, ela caiu e eu ouvi o barulho”, lembra.

Atendente e vizinha da família, Milena Mendonça afirmou na época que ouviu barulhos no momento da queda. “Foi um susto, porque ela estava chorando há um tempo e, do nada, ouvi uma pancada grande na minha janela e uma pancada, em seguida, no chão. Eu achei que tinha caído alguma coisa da janela, não uma criança”, contou.

Postado por Marcelo Carlos  (com as informações do G1)