Testemunhas relataram ao delegado Pedro Trajano que a criança de 3 anos que caiu do 4º andar de um prédio foi deixada sozinha pelos pais e ficou chorando antes do acidente, em Valparaíso de Goiás, no Entorno do Distrito Federal. A principal linha de investigação da polícia é que houve abandono de incapaz. Os pais da menina ainda não foram ouvidos.

O delegado explicou que, até o momento, duas pessoas já foram ouvidas e uma terceira ainda prestará depoimento. “As testemunhas disseram que a menina ficou sozinha por aproximadamente 30 minutos e que ficou chorando muito. Ainda de acordo com as pessoas ouvidas, essa não foi a primeira vez que isso aconteceu”, disse Trajano.

Ainda de acordo com o delegado, as testemunhas contaram que o pai da criança foi acompanhar a mãe até o trabalho, por isso a menina foi deixada sozinha. Entretanto, o casal só deve ser ouvido após a criança deixar o hospital.

“Entendemos que a dor que eles estão sentindo com o que aconteceu é muito maior do que qualquer pena, por isso eles ainda não foram ouvidos. Eles devem prestar depoimento 48 horas depois da criança deixar o hospital”, relatou.

A criança está internada no Hospital de Base de Brasília. O G1 tentou contato com a unidade para saber o estado de saúde da paciente, mas as ligações não foram atendidas até a publicação desta reportagem.

Queda
O acidente aconteceu na manhã de terça-feira (26). Segundo os bombeiros, a criança de 3 anos caiu de uma altura de 12 metros. Alguns vizinhos contaram que ela estava chorando antes de cair. Os bombeiros a levaram para o Hospital de Base do Distrito Federal, onde ela está internada.

O delegado Pedro Trajando disse que, se for confirmado que ela foi deixada sozinha, os pais podem responder por abandono de incapaz qualificado por lesão corporal. “Pelo boletim dos bombeiros ficou claro que houve lesão, mas, após receber alta, ela vai passar por exames no Instituto Médico Legal [IML] que vai determinar o grau dessa lesão”, disse.

O sargento dos bombeiros Eric Lima relatou que foi o primeiro a atender a criança e pontuou que ela se feriu apenas da cabeça. “Não havia fratura em nenhum outro membro. Em um impacto como esse vai depender de onde vai ser amortecida a queda. Infelizmente, ela bateu de uma altura considerável e em um local rígido, então veio ter traumatismo craniano”, esclareceu.

A atendente e vizinha da família, Milena Mendonça, contou que ouviu barulhos no momento da queda. “Foi um susto, porque ela estava chorando há um tempo e, do nada, ouvi uma pancada grande na minha janela e uma pancada, em seguida, no chão. Eu achei que tinha caído alguma coisa da janela, não uma criança”, contou.

O G1 não conseguiu contato com os pais da criança até a publicação desta reportagem.

Texto: G1