Pronunciamento do Senador Wilder cobra respeito e recursos federais para a região

“Há 18 anos, foi criada a Região Integrada de Desenvolvimetno do Distrito Federal e Entorno. É a Ride, que resultou em nada. Não integrou nem desenvolveu lugar nenhum.

Apesar de envolver três unidades da federação, Minas Gerais, Goiás e Distrito Federal, a Ride é desprezada. Envolve 19 municípios goianos e nove deles estão entre os maiores de nosso Estado. O abandono a que esses 19 municípios foram submetidos pode ser caracterizado como covardia.

Uma covardia com um povo que quer apenas trabalhar, dar estudo aos filhos, crescer, ter paz, enfim, ser feliz.

Nosso povo merece muito mais. Merece ir e vir de forma digna. E vai e volta sacolejando em ônibus ruins, atrasados e de tarifa alta. A Agência Nacional de Transportes Terrestres finge que age e faz exatamente nada.

Os governantes de Brasília e Goiás, Rodrigo Rollemberg e Marconi Perillo, tentam minorar o sofrimento do usuário do transporte, mas são travados pela inoperância federal. Brasileiros de todo o País vieram para o Entorno de Brasília. Foi sua última viagem sorrindo.

É duríssima a rotina de passageiros da agonia, que acordam de madrugada e ainda chegam atrasados ao serviço por culpa das empresas de ônibus. Além de atrasados são pisoteados, assaltados, humilhados. Perdem o emprego porque não chegam na hora. E estão perdendo a esperança, já que muito é dito e nada é cumprido.

Já vim a esta Tribuna reivindicar do governo que impante a Universidade Federal do Entorno de Brasília. Uma universidade decente, com cursos na área de saúde, inclusive Medicina, para a região ter um Hospital-Escola. Uma universidade com centro de pesquisa. Uma universidade com colégio de aplicação. Uma universidade com centro olímpico nas mais diversas modalidades de esporte.

A Universidade do Entorno vai atender a um povo que precisa e merece. Já que o governo adora cotas, os moradores do Entorno já deram sua cota de sacrifício para o progresso do País.

Está passando da hora do governo dar a sua cota de recursos para implantar a universidade. A região merece porque os impostos ali recolhidos são os mesmos que o governo arranca no restante do Brasil. A diferença é que nada volta para o Entorno.

O tributo dos goianos atravessa a fronteira, vem para cá financiar a burocracia e não é aproveitado por quem paga. O dinheiro anda poucos quilômetros na hora de arrecadar e foge anos-luz na hora de investir.

Os municípios goianos do Entorno são todos lindos. Com a ausência de políticas públicas, em vez de atraírem turistas pela beleza, atraem más notícias.

O que os municípios têm de recursos naturais, lhes falta em recursos federais.

A agropecuária oferece o equilíbrio à Balança Comercial Brasileira. E a região do Entorno é uma das que mais produzem e com a maior produtividade.

É assim também na mineração e na cultura, pois o solo e a criatividade independem do poder público.

Mas não é assim na Saúde nem na Educação, pois a posição do governo federal é reativa: espera acontecer tragédias para dar satisfação.

Implantar a Universidade Federal do Entorno será o início da mudança para valer. Universidade atrai apenas coias boas. E o povo do Entorno está cansado de coisa ruim. De transporte ruim. De  saúde ruim. De notícia ruim.

Vou voltar a esta Tribuna novamente e de novo e sempre, até que o governo implante a Universidade Federal do Entorno.

A Pátria Educadora não pode manter excluídos seus filhos dos 19 municípios goianos.

Chega de tanto sofrimento. Chega de tanta enrolação. E que chegue ao Entorno a boa notícia de a Pátria Educadora implantar a Universidade Federal”.

Trechos do pronunciamento registrado nos anais do Senado na tarde de terça-feira, 1º de março.

Postado por Marcelo Carlos (com as informações do Jornal do Cerrado)