Em entrevista exclusiva concedida ao nosso blog, Ricardo Viana, presidente do diretório municipal do PDT, falou abertamente sobre a atual situação de Valparaíso de Goiás. O município vive um tempo de muitas tribulações em diversos aspectos, e a atual gestão, enfrenta diariamente um tsunami de rejeição popular. O período é considerado por muitos, um dos momentos políticos mais difíceis da história da cidade. E a população, cansada, demonstra estar descrente com o seus representantes no poder. Segundo o pedetista, hoje Valparaíso, encontra-se abandonada devido a total ingerência de seu governo. Confira abaixo o bate-papo com o pré-candidato a prefeito do Partido Democrático Trabalhista:

Alô Valparaíso: Quando Valparaíso de Goiás terá um governo à altura de sua importância e que realmente apresente transparência e transformações reais para cidade?

Ricardo Viana: Espero que seja em breve, pois as eleições deste ano vão permitir isso. Valparaíso está entre as maiores economias do estado de Goiás e temos um setor de serviços muito forte e dinâmico. Novas empresas são instaladas no município todos os anos, movimentando uma economia significativa e importante, gerando novos espaços de trabalhos e novas receitas para a nossa cidade.

Acredito que temos que ter orgulho da nossa característica econômica natural e defendo que um governo municipal deve suprir tais expectativas sociais e econômicas, permitindo que o desenvolvimento da cidade não desacelere, mas pelo contrário, que as políticas públicas implantadas motivem mais investimentos de todos os setores.

Alô Valparaíso: Na ultima semana você publicou um vídeo nas redes sociais questionando as mazelas da má gestão do governo Lucimar. Valparaíso está mesmo um lixo?

Ricardo Viana: Está um Lixo! Apesar de retratar no vídeo uma insatisfação, que acredito ser de todos os moradores da cidade, com os serviços básicos de limpeza urbana, coleta do lixo, iluminação e manutenção asfáltica, o governo está um lixo no campo do relacionamento administrativo.

Muitas coisas na administração pública não são visíveis para a população, mas este governo vive uma total ingerência. Aliados do próprio governo estão completamente descontentes e desmotivados com a gestão e detalhe… Afinal, esta é uma característica desse governo: reuniões e mais reuniões e nada de concreto. Não há unidade e a prefeita Lucimar não consegue ter liderança sob sua equipe. Levou mas não ganhou! É prefeita, mas não lidera!

Alô Valparaíso: O Governo do PT usa o seguinte bordão “Inclusão e cidadania”. Os atuais gestores em três anos de poder colocaram essas duas palavras em prática?

Ricardo Viana: Certamente não! Tenho a impressão de que este slogan de governo foi criado sem fundamento com um projeto claro de poder.

Quando se fala de inclusão partimos do pressuposto de ofertar a uma parcela ou grande parte de uma sociedade oportunidades e acesso a bens e serviços que antes não eram ofertados. Tudo isso dentro de uma dinâmica, dentro de um sistema de gestão que beneficie a todos, não apenas a uma minoria. Isso não está acontecendo, não é verdade? Não acontece pelo simples fato das ações do governo não refletirem minimamente na nossa sociedade valparaisense. Há um descontentamento manifestado na cidade, pois não existe um diálogo claro com a população, pois quem mora aqui, em sua totalidade, desconhece as ações do governo e até mesmo a própria prefeita. Isso vai ter que melhorar e vamos melhorar!

Quanto à cidadania… Deparamo-nos com o comprometimento do cidadão ou cidadã, relacionados aos seus direitos e deveres! Aí pergunto: como a população reconhecerá os seus direitos e deveres se o próprio governo não faz por merecer a atenção do povo? Sendo um governo desleixado? Falta ao governo dar exemplo de boas práticas! Em três anos quais as mudanças sociais que presenciamos?

Dou destaque a uma, pelo fato de conhecer o seu diretor, Jorge Recife – sem dúvidas o trabalho que este jovem músico desenvolve merece toda a atenção e respeito. O trabalho cultural deve ser mantido, mas ampliado e devidamente inserido e reconhecido como base, dentro de uma nova gestão municipal. Sou músico e sei do poder transformador da música e sem dúvida a valorização e promoção da cultura nacional e regional deve ser um dos pilares de qualquer governo.  

Alô Valparaíso:   Nos últimos dias a TV Anhanguera mostrou mais um descaso com a educação municipal. Pais estão acampados em frente às escolas para conseguirem vagas para os seus filhos. Sendo Pedagogo, como você analisa este desrespeito com os cidadãos valparaisenses?

Ricardo Viana: Planejamento! Ano após ano temos aumento populacional, por isso é natural que tenhamos aumento da demanda por educação infantil. Mas como se resolve isso? Com boas ações é possível amenizar alguns sofrimentos para a população. A matéria da TV é o claro exemplo da falta de comunicação de um governo, aliado a uma gestão educacional ineficiente. De verdade, a roda não precisa ser reinventada… O que muitos governos fazem por aí? Realizam um levantamento das vagas por escola e região e comunicam previamente em sites e demais meios de comunicação do governo municipal. Claro que acampamentos de pais podem acontecer, mas não devem ser prática ou rotineiros anualmente! Isso ocorre até mesmo pela ansiedade de muitos pais ou responsáveis terem a perspectiva de matricula próxima às suas residências ou trabalhos, mas pela adoção de tecnologia é possível se ter senhas on-line com agendamento do atendimento nas secretarias escolares.

Desculpe, mas isso não é mais mistério para nenhum governo – a implantação de um sistema eficiente de gerenciamento escolar on-line, tanto de matrícula, quanto de avaliação dos discentes e docentes.

Por Marcelo Carlos