Compartilhe esta matéria!

Em Cidade Ocidental, mulher cai no golpe do falso emprego e perde 8 mil reais

Suposto empregador teria oferecido o trabalho dos sonhos para vítima

No município de Cidade Ocidental, no Entorno do Distrito Federal, uma mulher desempregada denunciou nesta semana que foi atraída por uma falsa vaga de emprego na internet, e foi convencida a pagar R$ 8 mil em cursos.

Para a TV Anhanguera, ela contou que passou por uma entrevista de quase quatro horas, onde o golpista ofereceu um “emprego dos sonhos”, com salário de até R$ 15 mil. Depois que ela transferiu um dinheiro para pagar suposto curso, ele desapareceu. A Polícia Civil investiga o crime.

A vítima relatou que o caso começou no dia 9 de outubro, com as ligações e o processo de seleção, e durou até o dia 16 do mesmo mês, quando ela realizou as transferências. Na tarde desta quarta-feira (4), a emissora de televisão localizou o anúncio, ainda ativo, à vaga de Gestora de Fianças, em uma rede social.

A mulher, que preferiu não se identificar, disse que foi enganada pela inteligência e agilidade dos criminosos. “Era o emprego perfeito, era o emprego da minha vida na verdade, né. Era emprego que eu queria para minha vida”, afirmou.

De acordo com o depoimento da vítima, a empresa oferecia um salário de R$ 13 a R$ 15 mil, e benefícios como um carro à disposição, assistência médica e odontológica, seguro de vida e vale-refeição. Ela contou que fez uma entrevista, por videochamada, com duração de quase quatro horas, e chegou a garantir o suposto cargo. Mas, para isso, pediram que ela se qualificasse fazendo cursos. “Eu saí igual uma louca pedindo dinheiro emprestado para um monte de gente para que eu pudesse pagar o curso, porque todo mundo estava acreditando que eu estava no emprego da minha vida, e a minha avó prontamente me fez esse empréstimo e o meu curso de R$ 2.500 ele acabou ficando em R$ 8 mil”

Após realizar uma transferência e perceber que o suposto golpista desapareceu, ela procurou uma delegacia e registrou um boletim de ocorrência.

Segundo o delegado João Carlos Freitas Júnior, o primeiro passo das investigações deve ocorrer nos próximos dias, colhendo o depoimento dos envolvidos. “O crime de estelionato se consuma no momento em que o dinheiro é disponibilizado. Então, a gente precisa verificar através das investigações de praxe, de onde o dinheiro foi movimentado”, disse.

Trauma

Desde o ocorrido, a desempregada conta que não consegue dormir mais. “Desde quando eu descobri, eu não consigo dormir, e eu não vou ficar em paz enquanto esse homem não for pelo menos descoberto, eu não vou”, desabafou.

O delegado orienta que em casos de vagas de emprego, as pessoas investiguem mais informações sobre as empresas, principalmente com negociações virtuais. “O estelionatário sempre vai te mostrar uma proposta extremamente vantajosa pra você, e ai você deixa de observar detalhes e acaba caindo no golpe”, afirmou.

Da Redação do Alô Valparaíso/*Com as informações do G1